sicnot

Perfil

País

Parlamento cumpre minuto de silêncio pela morte de Barbosa de Melo

A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira um voto de pesar e cumpriu um minuto de silêncio pela morte do seu antigo presidente e fundador do PSD António Barbosa de Melo, a quem todas as bancadas prestaram homenagem.

O Governo associou-se também a este voto aprovado por unanimidade em reunião da Comissão Permanente da Assembleia da República, que funciona durante o período de férias parlamentares, com deputados indicados por todos as bancadas.

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, afirmou que Barbosa de Melo deixa "uma imensa saudade" e que "a sua memória perdura, pois foi grande a obra que deixou na universidade e na casa da democracia".

Barbosa de Melo morreu na quarta-feira, aos 83 anos, no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

No voto de pesar lido de forma emocionada pelo deputado social-democrata Duarte Pacheco, o professor de Direito foi recordado como um "académico de excelência" que teve "uma carreira brilhante na universidade" e ao mesmo tempo "participou ativamente na vida cívica do seu país, sempre com zelo e dedicação".

O voto refere que foi deputado constituinte e líder parlamentar do então PPD, com um "papel fulcral, ao lado de outros, na elaboração da Constituição de 1976", e posteriormente eleito deputado em 1981, 85, 87, 91 - quando assumiu as funções de presidente da Assembleia da República, com uma "isenção irrepreensível" - e 95.

"Personalista convicto, idealista até ao fim, são muitas as saudades que deixa, no parlamento, na universidade, no país. A Assembleia da República lamenta profundamente a morte do cidadão ilustre, do deputado exemplar, do seu antigo presidente António Moreira Barbosa de Melo e endereça à sua esposa, filhos e restante família, amigos e ao PSD as mais sentidas condolências", leu Duarte Pacheco.

Heloísa Apolónia, do Partido Ecologista "Os Verdes", expressou "profundíssimo respeito" por Barbosa de Melo, considerando que o social-democrata "dignificou este parlamento", e o deputado do PCP António Filipe definiu-o como "uma personalidade ilustríssima da democracia portuguesa", que tinha "uma profunda erudição".

O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, declarou que Barbosa de Melo foi "um professor distinto, um homem da academia, um homem de cultura, um homem da sociedade civil" que se envolvia em causas "com a discrição que só os realmente grandes conseguem fazer" e que defendeu o parlamento.

José Manuel Pureza, do Bloco de Esquerda, lembrou Barbosa de Melo como "um lutador incansável pelo compromisso que veio a estar presente no texto constitucional de 1976", acrescentando: "Devemos-lhe, em grande medida, o modelo de democracia completa que a nossa Constituição consagra: uma democracia política, mas também uma democracia económica, social e cultural".

O socialista Jorge Lacão citou o artigo 1.º da Constituição da República Portuguesa: "Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária".

Depois, disse: "Esta afirmação constitucional é da autoria do deputado constituinte Barbosa de Melo e traça, só por si, todo um princípio ordenador da democracia portuguesa. Princípio dos princípios".

Por último, o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, agradeceu a todos os intervenientes as suas palavras e disse que Barbosa de Melo foi "um português gigante" e "um dos principais orientadores programáticos" do seu partido.

"Obrigado, professor António Barbosa de Melo. Nós no PSD temos uma grande gratidão, uma gratidão incomensurável, que não acabará nunca, por aquilo que ele representou e vai continuar a representar para nós", acrescentou.

Lusa

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.