sicnot

Perfil

País

Costa diz que aumento de colocações no ensino superior é a "morte do modelo" da direita

O primeiro-ministro afirmou este domingo que o aumento de colocações no ensino superior registado este ano representa a "morte do modelo de desenvolvimento" sem "direitos, salários e Estado Social" que a "direita quis impor" e constitui um sinal de confiança.

Em Braga, perante uma plateia de jovens numa iniciativa que marcou a rentrée política da Juventude Socialista e onde salientou que o ano escolar arrancou com normalidade, António Costa admitiu que o aumento de matrículas no ensino superior é também uma "enorme responsabilidade" para o Governo.

"O aumento do número de alunos no ensino superior representa a morte do modelo de desenvolvimento que a direita quis impor neste pais, de um país sem salários, sem direitos e sem Estado Social", afirmou.

Para o líder do Governo, o aumento de colocações é também um "sinal de confiança no futuro, de que vale a pena aprender", porque, disse, "aprendendo sabe-se não só mais, como o país pode crescer mais".

"É a esses (alunos) que temos que responder, quando acabarem a licenciatura ou segundo ciclo, que valeu apena este esforço e que o país que têm é um país que não os empurra para a emigração, mas é um país que está de braços abertos para eles", justificou.

Ainda focado na Educação, o também secretário-geral do PS congratulou-se pelo início do ano escolar a "tempo e horas" e "sem trapalhadas" e ainda pela "normalidade do funcionamento das instituições".

Segundo o governante, este foi o primeiro ano em que não houve algum "conflito institucional" em relação à constitucionalidade de qualquer legislação.

"(Sublinho) uma coisa que em condições normais nem devia ser novidade: é que este ano o novo ano escolar está a abrir a tempo e horas e com total normalidade. Não temos nem as trapalhadas de 2014 nem os adiamentos para fingir que não havia trapalhadas em 2015", disse.

"Em 2016 o ano escolar abre normalmente sem trapalhadas", acrescentou.

Aliás, segundo o primeiro-ministro, "devolver a normalidade" ao país, baseada no respeito e cumprimento da Constituição da República Portuguesa, era uma das missões do seu Governo.

A 1.ª fase do concurso de acesso ao ensino superior público colocou 42.958 novos alunos nas universidades e politécnicos, um aumento de 2,1% em relação à mesma fase, em 2015, segundo dados da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES).

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57