sicnot

Perfil

País

Algumas viagens fluviais entre Barreiro e Lisboa suprimidas até sexta-feira

A ligação fluvial entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, está novamente condicionada entre esta segunda e sexta-feira, com a supressão de algumas carreiras nos dois sentidos durante o período da manhã.

No portal Transportes de Lisboa, que reúne a informação sobre os transportes urbanos na região, foi divulgada a supressão de cinco carreiras, apenas no período da manhã, entre as 07:20 e as 09:00.

A ligação entre o Barreiro e Lisboa é assegurada pela Soflusa.

Na semana passada também se registou a supressão de várias ligações fluviais entre as duas margens do Tejo.

Na ocasião, o Sindicato dos Trabalhadores Fluviais Costeiros e da Marinha Mercante referiu, em comunicado, que na origem das supressões anunciadas está a "falta de trabalhadores para preencher as vagas deixadas em aberto por rescisões impostas pelo anterior conselho de administração".

"Este último trimestre, com a entrada dos períodos de férias, veio destacar mais ainda toda esta situação. Ao fim destes meses, o problema tem sido compensado com um enorme volume de trabalho extraordinário que começou agora a trazer os seus problemas de saúde e cansaço aos trabalhadores da empresa, esgotados com todo este esforço físico e mental", refere a nota.

O sindicato acrescenta que nas reuniões com a empresa a questão da admissão de novos trabalhadores tem sido sempre colocada, mas a resposta é que "os orçamentos não o permitem e o ministro das Finanças não autoriza".

"Com o novo Governo continuamos com o mesmo problema do não investimento na contratação e com o tempo será a renovação das frotas posta em causa. Esta situação não é exclusiva da Soflusa, a Transtejo também sofre com todos estes impedimentos. O futuro de um transporte fluvial condigno, confortável e em segurança entre as duas margens do rio Tejo está em perigo", refere o sindicato.

No site da Transportes de Lisboa não é indicado qualquer motivo para a supressão de viagens.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11