sicnot

Perfil

País

PJ deteve dois alegados incendiários, um ficou em prisão preventiva

Um homem de 49 anos vai aguardar julgamento em prisão preventiva por suspeita de ter ateado um incêndio florestal, no passado dia 01, em S. Miguel da Pena, Vila Real, anunciou hoje a Polícia Judiciária.

Em comunicado, a PJ dá também conta da detenção de um outro homem suspeito do mesmo tipo de crime, mas em Valpaços, Vila Real, referindo que em ambas as detenções contou com a colaboração da GNR.

De acordo com a PJ, no caso de S. Miguel da Pena, o incêndio, que deflagrou cerca das 21:00, do dia 01 de Setembro, colocou em perigo área florestal e agrícola que apenas não foram consumidas devido à rápida intervenção dos meios de combate, designadamente dos bombeiros e populares.

Segundo a Unidade Local de Investigação Criminal da PJ de Vila Real, o segundo detido terá ateado domingo um incêndio em área florestal, em Serapicos, Valpaços.

Segundo disse domingo à agência Lusa fonte do Comando Nacional da GNR, o suspeito terá usado um isqueiro para atear um fogo que deflagrou no concelho de Valpaços, e que chegou a ganhar ainda "alguma dimensão".

Um helicóptero chegou a ser mobilizado para o combate deste incêndio, que acabou por ser extinto no domingo, disse a mesma fonte.

O detido, pastor, vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

No corrente ano a Polícia Judiciária já identificou e deteve 69 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Lusa

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.