sicnot

Perfil

País

Suspeito de matar o filho em Queluz ficou em prisão preventiva

O homem de 81 anos suspeito de matar o filho com um utensílio de cozinha, no sábado passado, em Queluz, ficou em prisão preventiva por decisão do Tribunal de Sintra, informou esta segunda-feira fonte da PSP de Lisboa.

Segundo adiantou à Lusa uma fonte oficial do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, o octogenário terá atingido o filho, de 42 anos, "com um machado de cozinha", na sequência de um desentendimento familiar.

A vítima, que testemunhos alegam que estaria alcoolizada, foi atingida com o utensílio de cozinha na residência do pai, que após a agressão ao filho pediu a uma vizinha para alertar as autoridades, acrescentou a fonte policial.

O crime ocorreu pelas 10:50 de sábado e os agentes da PSP, quando chegaram ao local, verificaram que a vítima já se encontrava cadáver, detendo o suspeito para interrogatório.

A Polícia Judiciária (PJ) foi chamada ao local, mas a PSP prosseguiu com a investigação para tentar determinar o que motivou o desentendimento familiar que levou ao homicídio.

O suspeito foi hoje, durante a tarde, presente a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal da Comarca da Grande Lisboa Noroeste, em Sintra, e ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva, enquanto aguarda pelo desenrolar do processo, confirmou o oficial de serviço ao Cometlis.

Lusa

  • Homem de 82 anos mata o filho em Queluz
    1:05

    País

    Um homem de 42 anos foi morto este sábado de manhã em Queluz. O pai da vitima, com 82 anos, foi detido sem resistência e acabou por confessar o crime. A Polícia Judiciária está a investigar o caso. A vítima deixa dois filhos com dois e cinco anos de idade.

  • "Estamos a investir na nossa própria desgraça"
    0:37
  • Saída dos EUA do acordo de Paris é "uma vergonha"

    Mundo

    O ex-secretário de Estado norte-americano John Kerry considerou esta terça-feira "uma vergonha" a decisão do Presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo do clima de Paris, garantindo que o povo não acompanha esse gesto de "autodestruição".

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43