sicnot

Perfil

País

Rangel diz que decisão sobre Barroso pode ter o objetivo de prejudicar Guterres

Rangel diz que decisão sobre Barroso pode ter o objetivo de prejudicar Guterres

Paulo Rangel saiu em defesa de Durão Barroso, que perdeu os privilégios de ex-presidente da Comissão Europeia. O eurodeputado do PS diz que a decisão de Bruxelas pode ter o objetivo de prejudicar a candidatura de António Guterres à liderança da ONU.

  • Provedora da Justiça europeia satisfeita com perda de privilégios de Barroso
    2:27

    Mundo

    A Provedora de Justiça europeia tem sido um dos elementos de pressão no caso Barroso, dizendo que está em causa a confiança dos cidadãos nas instituições europeias. Em entrevista à SIC e ao Expresso, Emily O'Reilly diz ainda que a Comissão pode pedir ao Tribunal de Justiça que suspenda a pensão de Durão Barroso, se concluir que o contrato com a Goldman Sachs não respeita os tratados.

  • Durão Barroso perde privilégios em Bruxelas
    1:32

    Economia

    A Comissão Europeia quer ver o contrato de Durão Barroso com o Goldman Sachs e retirou-lhe os privilégios de ser recebido em Bruxelas como um ex-presidente do Executivo comunitário. O português passará a ser tratado em Bruxelas como lobista. Esta é a resposta de Jean-Claude Juncker à pressão da Provedora de Justiça Europeia.

  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.