sicnot

Perfil

País

Ministério da Educação reabre escola em Idanha-a-Nova

Ministério da Educação reabre escola em Idanha-a-Nova

Em Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, o Ministério da Educação decidiu reabrir uma escola do 1º ciclo que tinha encerrado em 2014. Na altura a escola tinha apenas sete alunos, este ano conta com 19 e está novamente a funcionar para satisfação dos pais. A autarquia assegura o pagamento das refeições, atividades extra curriculares e manuais escolares.

  • Termina hoje o prazo dado para o início do ano letivo
    2:20

    País

    O início do ano escolar está a ser marcado por grande normalidade. Esta quinta-feira foi o último dia marcado pelo Ministério da Educação para o início das atividades letivas. Na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Carnaxide, as aulas recomeçaram hoje. O diretor do Agrupamento, António Seixas, acredita que até ao fim da semana sejam colocadas as duas substituições de professores por doença e espera que o ano decorra sem sobressaltos.

  • Ministro da Educação admite alguns horários por preencher
    3:19

    País

    Tiago Brandão Rodrigues diz que podem faltar alguns professores por colocar resultado de horários que não foram aceites. O ministro da Educação esteve hoje numa escola da Amadora que recebeu crianças de 3 anos na rede do pré-escolar, que este ano foi alargado aos 4 anos.

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.