sicnot

Perfil

País

Bilhetes dos transportes de Lisboa podem vir a ser comprados pelo telemóvel

A Transportes de Lisboa, que engloba o Metropolitano, a Carris e a Transtejo, vai lançar, "muito brevemente", um projeto-piloto para a compra de títulos de viagem através de um sistema instalado no telemóvel, anunciou esta terça-feira o presidente da empresa.

"Estamos a trabalhar numa desmaterialização [...], numa ótica de complementaridade, da forma de pagar as viagens, que não seja através de um cartão virtual, como é o caso do Lisboa Viva, mas para passar a ser também através de um sistema que está no nosso telemóvel", revelou Tiago Farias.

Falando na conferência "Mobilidade Sustentável em Lisboa", que decorre na reitoria da Universidade de Lisboa, o administrador do Metropolitano, da rodoviária Carris e da Transtejo indicou que serão lançados "muito brevemente" os "primeiros projetos-piloto".

"Tudo tecnologia portuguesa", frisou Tiago Farias.

Fazendo um ponto de situação sobre a atividade da empresa Transportes de Lisboa, o responsável referiu que se está a "inverter um processo que estava mais orientado para a sustentabilidade financeira".

"Estamos concentrados naquilo que consideramos que é o maior desafio que a Carris, o Metro e a Transtejo têm, que é melhorar e recuperar a qualidade do serviço que oferecem aos seus utilizadores, mas estamos, em paralelo, a fazer parte da visão estratégica da cidade de Lisboa", precisou Tiago Farias.

Nesse âmbito, o representante apontou que será lançado, "em outubro", um sistema de 'wi-fi' para os transportes da cidade.

"Está tudo bem encaminhado para tal", observou.

Ao mesmo tempo, "estamos a trabalhar em sensores que permitam reduzir a fraude que existe muito nos sistemas abertos, como é o caso dos autocarros, [...] e muito brevemente vamos fazer uma apresentação".

A empresa está ainda a "preparar uma candidatura muito grande" com vista à obtenção de fundos comunitários para a aquisição de autocarros com "energia mais limpa", adiantou.

O objetivo é conseguir uma "renovação em grande escala da frota", salientou Tiago Farias.

Todas estas medidas fazem parte de uma visão da empresa para "construir o futuro", adiantou o administrador, reconhecendo, contudo, que este é um "processo que demora tempo".

"Não se compram autocarros num mês, não se constrói uma linha ferroviária num ano, nem sequer se montam sistemas de 'bike sharing' em três semanas", exemplificou.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.