sicnot

Perfil

País

Bilhetes dos transportes de Lisboa podem vir a ser comprados pelo telemóvel

A Transportes de Lisboa, que engloba o Metropolitano, a Carris e a Transtejo, vai lançar, "muito brevemente", um projeto-piloto para a compra de títulos de viagem através de um sistema instalado no telemóvel, anunciou esta terça-feira o presidente da empresa.

"Estamos a trabalhar numa desmaterialização [...], numa ótica de complementaridade, da forma de pagar as viagens, que não seja através de um cartão virtual, como é o caso do Lisboa Viva, mas para passar a ser também através de um sistema que está no nosso telemóvel", revelou Tiago Farias.

Falando na conferência "Mobilidade Sustentável em Lisboa", que decorre na reitoria da Universidade de Lisboa, o administrador do Metropolitano, da rodoviária Carris e da Transtejo indicou que serão lançados "muito brevemente" os "primeiros projetos-piloto".

"Tudo tecnologia portuguesa", frisou Tiago Farias.

Fazendo um ponto de situação sobre a atividade da empresa Transportes de Lisboa, o responsável referiu que se está a "inverter um processo que estava mais orientado para a sustentabilidade financeira".

"Estamos concentrados naquilo que consideramos que é o maior desafio que a Carris, o Metro e a Transtejo têm, que é melhorar e recuperar a qualidade do serviço que oferecem aos seus utilizadores, mas estamos, em paralelo, a fazer parte da visão estratégica da cidade de Lisboa", precisou Tiago Farias.

Nesse âmbito, o representante apontou que será lançado, "em outubro", um sistema de 'wi-fi' para os transportes da cidade.

"Está tudo bem encaminhado para tal", observou.

Ao mesmo tempo, "estamos a trabalhar em sensores que permitam reduzir a fraude que existe muito nos sistemas abertos, como é o caso dos autocarros, [...] e muito brevemente vamos fazer uma apresentação".

A empresa está ainda a "preparar uma candidatura muito grande" com vista à obtenção de fundos comunitários para a aquisição de autocarros com "energia mais limpa", adiantou.

O objetivo é conseguir uma "renovação em grande escala da frota", salientou Tiago Farias.

Todas estas medidas fazem parte de uma visão da empresa para "construir o futuro", adiantou o administrador, reconhecendo, contudo, que este é um "processo que demora tempo".

"Não se compram autocarros num mês, não se constrói uma linha ferroviária num ano, nem sequer se montam sistemas de 'bike sharing' em três semanas", exemplificou.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41