sicnot

Perfil

País

Universidade Nova de Lisboa entre as 50 melhores do mundo

A Universidade Nova de Lisboa subiu quatro lugares no "ranking" QS Top 50, que hierarquiza as 50 melhores universidades do mundo com menos de 50 anos, e é a única instituição portuguesa na lista, anunciou esta terça-feira a instituição.

A Nova ocupa a 41.ª posição, depois de no ano passado ter descido para a 45.ª, uma queda em relação a 2014, quando ocupou o 36.º lugar.

É o quarto ano consecutivo em que a universidade repete a presença na lista, elaborada a partir do chamado QS University Rankings, que usa indicadores como o número de citações obtidas pelas publicações científicas, o rácio professor-aluno ou o número de estudantes e docentes estrangeiros, diz-se no comunicado.

No comunicado a Nova salienta que lidera a nível nacional nos critérios de internacionalização do corpo docente e de alunos, no rácio professor-aluno e na reputação junto dos empregadores.

António Rendas, reitor da Universidade, citado no documento frisa a "capacidade acrescida (da instituição) para produzir investigação relevante, proporcionar um ensino de qualidade internacional e obter reconhecimento junto da comunidade académica".

Lusa

  • Feira de emprego em Lisboa conta com 73 empresas
    2:26

    Economia

    São mais de 1500 oportunidades de trabalho disponíveis para os alunos da Universidade Nova de Lisboa. É a oferta de 70 empresas nacionais e estrangeiras que hoje estão presentes na feira de emprego da Nova School of Business and Economics. O evento decorre durante todo o dia e conta com a participação de 73 empresas nacionais e internacionais, sendo esta a maior adesão de sempre.

  • Incêndio destrói igreja em Ponte da Barca
    1:49

    País

    Um incêndio destruiu na última madrugada a Igreja de Lavradas, em Ponte da Barca. A Polícia Judiciária de Braga está a investigar as causas do fogo, mas tudo aponta para um curto-circuito.

  • Bairro em Loures não tem luz há mais de um ano
    2:30

    País

    O bairro da Torre, junto ao aeroporto de Lisboa mas ainda no concelho de Loures, não tem eletricidade nem nos postes, nem nas casas. A EDP e os moradores nunca chegaram a acordo para uma solução de pagamento coletivo e a empresa, para acabar com as puxadas eléctricas ilegais, decidiu cortar de vez o abastecimento há mais de um ano.