sicnot

Perfil

País

Portugueses passam mais de hora e meia por dia nas redes sociais

Reuters

Os utilizadores de redes sociais dedicam diariamente, em média, 91 minutos do seu tempo a estes 'sites', revela o estudo da Marktest "Os portugueses e as redes sociais", que aponta que o Facebook é líder nesta matéria.

Segundo o estudo, a que a Lusa teve acesso, os utilizadores dedicam mais de hora e meia, em média, às redes sociais e este valor "sobe entre os mais jovens e as mulheres".

Mais de dois terços (68%) "considera que este é o tempo adequado para dedicar às redes sociais, embora um em cada quatro refira que no último ano passou a dedicar-lhes mais tempo".

O Facebook "destaca-se claramente das restantes redes sociais, pois a maioria refere que ele é o 'site' mais credível, o que informa melhor, o que mais gostam" e "o mais viciante", sendo também "a rede com maior penetração em Portugal, com 94% de utilizadores, a que se segue o Youtube, Google+, WhatsApp e Instagram, que foi a rede que mais subiu face a 2015".

Desde 2011, segundo o estudo da Marktest, "o número de utilizadores em Portugal cresceu 53% e abrange hoje 4,6 milhões de portugueses (54% dos residentes no continente com 15 ou mais anos)", refere.

"Entre as redes mais utilizadas regista-se uma tendência de acréscimo na penetração do Instagram, Pinterest e Google+, que duplicaram o número de utilizadores no período em análise, e um forte decréscimo na penetração do Hi5, que tem hoje um terço dos utilizadores de há cinco anos", segundo o documento.

No último ano, 21% dos utilizadores abandonaram redes sociais, com o Hi5 a liderar a lista de abandonos, seguida do Twitter e Google+.

"As principais razões referidas pelos entrevistados para este abandono foram a falta de interesse ou a falta de tempo", acrescenta.

O serviço de troca de mensagens ou serviço 'chat' é a funcionalidade mais utilizada, sendo que comentar publicações dos amigos é outra das ferramentas usadas pelos utilizadores, assim como ver vídeos ou ler notícias em 'sites' de informação.

Mais de metade (67%) dos utilizadores visita as redes sociais várias vezes ao dia, mas apenas 41% faz publicações diárias.

"Os acessos são, sobretudo, feitos entre as 20:00 e as 22:00 e, cada vez mais, através do 'smartphone' [telemóvel inteligente]", refere.

O estudo "Os portugueses e as redes sociais" é feito pela Marktest Consulting desde 2011 com o objetivo de conhecer índices de notoriedade, utilização, opinião e hábitos dos portugueses face às redes sociais.

A informação do estudo foi recolhida através de entrevistas 'online' realizadas entre 30 de junho e 19 de julho deste ano, tendo por base um questionário de autopreenchimento.

"A amostra foi constituída por 819 entrevistas a indivíduos entre os 15 e os 64 anos, residentes em Portugal continental e utilizadores de redes sociais", refere a Marktest.

  • Germano Almeida vence Prémio Camões

    Cultura

    O escritor cabo-verdiano Germano Almeida é o vencedor do Prémio Camões 2018, foi esta segunda-feira anunciado, no Hotel Tivoli, em Lisboa, após reunião do júri.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.