sicnot

Perfil

País

Inspetor da ASAE acusado por usar pen de internet para uso pessoal

O Ministério Público do Porto acusou um inspetor da ASAE de peculato de uso por usar para fins pessoais a pen de acesso à internet que lhe tinham sido atribuídos para uso profissional, gastando 1.700 euros em dois meses.

"Os factos reportam-se ao período de 01 de agosto a 30 de setembro de 2014 durante o qual o arguido, inspetor da ASAE, utilizou para fins pessoais o computador portátil e a 'pen' de acesso à internet que os serviços lhe tinham entregado para o seu desempenho funcional", divulgou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

A utilização indevida do equipamento terá originado, "um prejuízo para o Estado de 1.701,01 euros relativos a custos de acesso à internet suportados perante a operadora".

A acusação foi deduzida no dia 12 de setembro pelo Ministério Público no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Matosinhos da Comarca do Porto.

Ao inspetor da ASAE foi imputada a prática de um crime de peculato de uso.

Lusa

  • ASAE fiscaliza centenas de veículos de mercadorias
    1:36

    País

    Centenas de veículos de transporte de mercadorias foram fiscalizados esta terça-feira pela ASAE, numa mega inspeção que decorreu em vários pontos do país. Cerca de 130 inspetores fiscalizaram o estado as cargas, as condições de transporte e a possibilidade de contrafação. O inspetor-geral garante que a operação não é uma resposta às acusações de falta de meios na ASAE.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras