sicnot

Perfil

País

Marés vivas fazem dois mortos na praia da Maiata, na Madeira

Duas pessoas, um turista francês e um madeirense, morreram esta sexta-feira nas águas da praia da Maiata, no Porto da Cruz, no concelho de Machico, devido à maré viva que ali se fazia sentir no momento e que os impossibilitou de regressarem à terra, disse o comandante da Capitania do Funchal, Félix Marques.

O turista, de 47 anos de idade, entrou no mar e, ao manifestar sinais de que estava em apuros, outros dois banhistas atiraram-se à àgua com o objetivo de o socorrerem mas acabaram também por ficar em dificuldades.

Nessa altura, segundo o comandante Félix Marques, saiu, então, em socorro um surfista que conseguiu transportar para terra o turista francês mas já sem sinais vitais e um outro banhista com vida.

O terceiro, entretanto, ficou desaparecido mas acabou por ser encontrado pela embarcação da Capitania, também sem vida.

"Apesar das manobras de reanimação não foi possível salvar os banhistas", disse.

A outra vítima mortal tinha 42 anos e era natural de Santa Cruz.

No incidente, estiveram também envolvidos os Bombeiros Municipais de Machico e uma embarcação do SANAS - Associação Madeirense de Socorro a Náufragos, tendo o alerta sido dado por volta das 15:00 horas e os corpos sido transportados para a marina da Quinta do Lorde e as autoridades tomaram conta da ocorrência.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras