sicnot

Perfil

País

Complexo turístico Zmar em Odemira diz que vai reerguer-se após incêndio

A empresa proprietária do complexo turístico Zmar, em Odemira, no litoral alentejano, assegurou esta segunda-feira que o empreendimento vai "reerguer-se", após o incêndio que afetou vários espaços, mas não os alojamentos.

"O Zmar vai reerguer-se: ´Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se Transforma'!", refere a empresa Multiparques, num comunicado enviado à agência Lusa, dois dias após o incêndio que afetou o complexo, situado perto de Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, no distrito de Beja.

O incêndio, cujo alerta foi dado às 17:39 de sábado, afetou o spa, a piscina de ondas, o restaurante, as cozinhas e algumas salas, mas "os alojamentos não foram afetados", precisa a empresa, referindo que o Zmar está "temporariamente fechado e todos os clientes com reserva serão brevemente contactados".

A "prioridade" foi a evacuação do complexo turístico e a retirada de clientes e colaboradores, num total de "cerca de 500 pessoas", e "tudo decorreu com calma e tranquilidade, sem registo de vítimas, nem incidentes", sublinha a empresa, frisando que "todas as normas de segurança e de prevenção contra incêndios foram cumpridas e tudo esteve operacional".

As causas do incêndio ainda são desconhecidas e estão a ser investigadas pela Polícia Judiciária.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Odemira, Nazário Viana, disse à Lusa que "há suspeitas de que o incêndio tenha iniciado numa camarata" e não na cozinha, como chegou a ser indicado.

No incêndio, segundo fonte dos bombeiros, arderam também três veículos de funcionários do complexo turístico.

O administrador executivo da Multiparques, João Ribeiro Ferreira, disse à Lusa, no domingo, que "o incêndio começou numa camarata dos funcionários" do complexo turístico e "os prejuízos são muito avultados", acrescentando que "o valor só mais tarde pode ser apurado".

Segundo o responsável, a área de alojamento deve "reabrir dentro de duas semanas", mas o complexo turístico na sua globalidade "só deve estar a funcionar em abril de 2017".

João Ribeiro Ferreira realçou que "não houve qualquer tipo de dano humano" em resultado do fogo.

O combate ao fogo, que foi dominado às 20:03 de sábado, tanto na sua componente urbana, na estrutura do Zmar, como na vertente rural, uma vez que as chamas se propagaram a uma zona de pasto e de povoamento florestal, envolveu 98 operacionais, com 35 veículos, sobretudo de corporações de bombeiros dos distritos de Beja e de Setúbal, e um helicóptero.

Lusa

  • Mulher detida ao tentar atropelar polícias junto ao Capitólio, em Washington

    Mundo

    Agentes da polícia abriram fogo contra uma mulher (e não um homem, ao contrário do que inicialmente se disse) que conduzia um carro perto do Capitólio e tentava atropelá-los, segundo o Departamento da Polícia Metropolitana de Washington. A mulher foi detida mas a polícia garante que não se tratou de um ato terrorista.

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.