sicnot

Perfil

País

Complexo turístico Zmar em Odemira diz que vai reerguer-se após incêndio

A empresa proprietária do complexo turístico Zmar, em Odemira, no litoral alentejano, assegurou esta segunda-feira que o empreendimento vai "reerguer-se", após o incêndio que afetou vários espaços, mas não os alojamentos.

"O Zmar vai reerguer-se: ´Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se Transforma'!", refere a empresa Multiparques, num comunicado enviado à agência Lusa, dois dias após o incêndio que afetou o complexo, situado perto de Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, no distrito de Beja.

O incêndio, cujo alerta foi dado às 17:39 de sábado, afetou o spa, a piscina de ondas, o restaurante, as cozinhas e algumas salas, mas "os alojamentos não foram afetados", precisa a empresa, referindo que o Zmar está "temporariamente fechado e todos os clientes com reserva serão brevemente contactados".

A "prioridade" foi a evacuação do complexo turístico e a retirada de clientes e colaboradores, num total de "cerca de 500 pessoas", e "tudo decorreu com calma e tranquilidade, sem registo de vítimas, nem incidentes", sublinha a empresa, frisando que "todas as normas de segurança e de prevenção contra incêndios foram cumpridas e tudo esteve operacional".

As causas do incêndio ainda são desconhecidas e estão a ser investigadas pela Polícia Judiciária.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Odemira, Nazário Viana, disse à Lusa que "há suspeitas de que o incêndio tenha iniciado numa camarata" e não na cozinha, como chegou a ser indicado.

No incêndio, segundo fonte dos bombeiros, arderam também três veículos de funcionários do complexo turístico.

O administrador executivo da Multiparques, João Ribeiro Ferreira, disse à Lusa, no domingo, que "o incêndio começou numa camarata dos funcionários" do complexo turístico e "os prejuízos são muito avultados", acrescentando que "o valor só mais tarde pode ser apurado".

Segundo o responsável, a área de alojamento deve "reabrir dentro de duas semanas", mas o complexo turístico na sua globalidade "só deve estar a funcionar em abril de 2017".

João Ribeiro Ferreira realçou que "não houve qualquer tipo de dano humano" em resultado do fogo.

O combate ao fogo, que foi dominado às 20:03 de sábado, tanto na sua componente urbana, na estrutura do Zmar, como na vertente rural, uma vez que as chamas se propagaram a uma zona de pasto e de povoamento florestal, envolveu 98 operacionais, com 35 veículos, sobretudo de corporações de bombeiros dos distritos de Beja e de Setúbal, e um helicóptero.

Lusa

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC