sicnot

Perfil

País

Cancro do intestino mata 11 portugueses por dia

Cancro do intestino mata 11 portugueses por dia

O cancro do sistema digestivo é o mais frequente em Portugal. Por ano são diagnosticados 13 mil casos e 4 mil acabam por ser fatais. Os especialistas lembram que a prevenção e o diagnóstico o mais cedo possível são essenciais.

  • Dia Nacional do Cancro Digestivo
    4:55

    Edição da Manhã

    O cancro digestivo abrange alguns dos tumores com maior incidência em Portugal, como o cancro do cólon, reto, estômago, fígado, pâncreas e ainda esófago. No dia em que se assinala o Dia Nacional do Cancro Digestivo, o oncologista, Nuno Bonito, esteve na Edição da Manhã.

  • Morrem 11 pessoas por dia devido ao cancro do cólon

    Mundo

    O presidente da Associação de Apoio ao Doente com Cancro Digestivo -- Europacolon considerou hoje "dramático" que, em 2016, morram onze pessoas por dia devido ao cancro do cólon, quando este número podia ser reduzido se fossem realizados rastreios.

  • 1400 Novos casos de cancro do pâncreas por ano em Portugal
    4:55

    Edição da Manhã

    O cancro do pâncreas é o tumor maligno do sistema digestivo com pior prognóstico, com uma sobrevivência global aos 5 anos de apenas 5%. Surgem todos os anos em Portugal cerca de 1400 novos casos da doença. A Sociedade Portuguesa de Gastroenterologia, hoje representada na Edição da Manhã por Miguel Bisto, alerta para a prevenção desta doença silenciosa.

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.