sicnot

Perfil

País

Idosos representam cerca de 30% das vítimas mortais nas estradas

© Reuters

Três em cada dez pessoas que morreram em acidentes nas estradas portuguesas, em 2015, eram idosos, anunciou esta segunda-feira a Prevenção Rodoviária Portuguesa (PRP), defendendo que "é prioritário" promover a segurança desta população.

Do total das 593 vítimas mortais registadas em 2015, 29,8% tinham 65 ou mais anos, "para uma percentagem de população que representa apenas 21% do total, e que apresenta uma muito menor exposição ao risco, pois circula, em média, bastante menos que a população mais jovem", referem os dados da PRP, divulgados a propósito do Dia Internacional do Idoso, assinalado a 1 de outubro.

Para o presidente da PRP, José Miguel Trigoso, estes dados "são bastante demonstrativos de que a população sénior é a mais afetada pela sinistralidade nas estradas portuguesas e, o mais grave, é que é esperado que estes números aumentem".

A Prevenção Rodoviária Portuguesa sublinha que a taxa de mortalidade na população idosa situa-se nas 86 vítimas por milhão de habitantes (cerca de 70 na União Europeia), "um número bastante superior à taxa para a restante população, que se fica pelas 54 vítimas por milhão de habitantes".

Relativamente aos condutores, os dados indicam que as vítimas mortais e feridos graves com 65 ou mais anos representam 21,5% e 15,5%, respetivamente.

"Se considerarmos que apenas 13% dos condutores envolvidos em acidentes tinham idade igual ou superior a 65 anos, podemos observar uma tendência nesta faixa etária para sofrer consequências mais graves que as restantes", alerta a PRP.

Para este organismo, é "particularmente preocupante" a a elevada sinistralidade nos idosos enquanto peões.

Segundo os dados, mais de metade (56,3%) dos 146 peões atingidos mortalmente nas estradas portuguesas eram idosos.

"Foram 156 os peões idosos feridos com gravidade e 1.438 sofreram ferimentos ligeiros, o que representa, respetivamente, 36,4% e 29,8%" do total de sinistrados, refere a PRP.

Para José Manuel Trigoso, "promover a segurança dos utentes seniores é prioritário, tanto no que respeita à segurança dos peões, prioridade das prioridades, como garantindo que mantêm as condições físicas necessárias para uma condução segura".

De acordo com dados do Eurostat, Portugal é um dos países da Europa com maior percentagem de idosos, sendo "expectável que a sinistralidade entre os mais velhos se agrave", já que, em 2050 cerca de 35% da população portuguesa terá idade igual ou superior a 65 anos, quando atualmente são apenas 21%.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.