sicnot

Perfil

País

Dona de animal usado na Queima do Gato é única a ser julgada hoje em Vila Flor

O polémico caso da Queima do Gato na aldeia de Mourão, Vila Flor, no distrito de Bragança, chega hoje a julgamento com uma única arguida no banco dos réus acusada de maus tratos.

Rosa Santos, a dona do gato usado no ritual, foi a única que a investigação conseguiu identificar num processo que culmina com a acusação do Ministério Público de um crime de maus tratos a animais de companhia, na forma consumada, contra aquela arguida em coautoria com "indivíduos de identidade não concretamente apurada".

Um vídeo publicado na Internet, em junho de 2015, denunciou esta prática que a população local alega de "tempos imemoráveis" da "queima do gato" nas festas de São João, na localidade de Mourão, e que originou uma série de denúncias às autoridades por parte de particulares e associações de defesa dos animais.

Nas festas de 2016, a população já não repetiu a alegada tradição que consistia na colocação de um poste envolto em palha, no centro da aldeia, com um pote no topo, em que era colocado um gato vivo.

Alguém ateava fogo à palha que ia ardendo até o pote desabar no chão, com o animal dentro, e se partir.

No vídeo da polémica, vê-se o animal em chamas a correr desorientado entre os populares que se juntaram em volta do poste para assistir à "queima".

O Ministério Público pediu à Faculdade de Engenharia da Universidade do porto (FEUP) que ajudasse a tentar identificar os intervenientes, mas, de acordo com o despacho da acusação, não foi possível obter mais informação dos fotogramas.

A investigação apenas conseguiu apurar que "um número indeterminado de pessoas encontrava-se a assistir" e que "durante 35 minutos, as chamas atingiram a base do pote, provocando queimaduras, dores e sofrimento" ao gato.

A agora única arguida no processo identificou-se publicamente como sendo a dona do animal.

As autoridades estão, contudo, convencidas de que o gato que no dia seguinte à queima "mostrou à GNR não seria o mesmo" que foi sujeito ao ritual.

A acusação concluiu que "a arguida e indivíduos de identidade não concreta agiram de forma a infligir maus tratos físicos ao gato com dores e sofrimento".

No processo estão arroladas dez testemunhos e vão ser usados como prova os vídeos realizados na festa e nos dias seguintes, nomeadamente das reportagens televisivas.

O crime de maus tratos a animais de companhia é punido com pena de prisão até um ano ou pena de multa até 120 dias.

Em caso de morte do animal ou privação de importante órgão ou membro ou a afetação grave e permanente da sua capacidade de locomoção, a punição é de prisão até dois anos ou pena de multa até 240 dias.

Lusa

  • Dona do gato torturado em Vila Flor garante que o animal saiu ileso
    2:49

    País

    A GNR já identificou algumas pessoas relacionadas com os atos que podem constituir crime no caso da tradição da "queima do gato", que decorreu na aldeia de Mourão, em Vila Flor. Mas ainda ninguém foi constituído arguido. Àquela força de segurança, chegaram várias queixas e também listas com nomes de pessoas que terão estado no recinto da festa.

  • Gato torturado em "tradição" da aldeia de Mourão, em Vila Flor
    3:10

    País

    Uma tradição na aldeia de Mourão, em Vila Flor, está a provocar uma onda de revolta. Nas imagens que circulam nas redes sociais, um gato é, aparentemente, queimado durante os festejos do São João. O povo da aldeia garante que o ritual não provoca sofrimento ao animal, mas as imagens, que podem impressionar os espectadores mais sensíveis, desmentem a população.

  • Não há risco de colapso do viaduto de Alcântara
    1:35

    País

    O desvio de um pilar do viaduto de Alcântara obrigou esta quarta-feira ao corte do trânsito e da circulação de comboios da linha de Cascais. O estrago terá sido provocado por um camião que embateu na estrutura. A circulação ferroviária foi retomada a meio da manhã, mas o viaduto só será reaberto esta quinta-feira.

  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Romeu e Julieta nasceram no mesmo dia e no mesmo hospital

    Mundo

    Na Carolina do Sul, nos EUA, dois bebés tinham o parto marcado para 26 de março mas decidiram nascer mais cedo: exatamente no mesmo dia, apenas com uma diferença de 18 horas. Os pais não se conheciam e, curiosamente, deram o nome aos recém nascidos de Romeo e Juliet (em português, Romeu e Julieta).

  • Gelo nos polos recua para recordes mínimos

    Mundo

    A extensão de gelo polar dos oceanos Ártico e Antártico atingiu recordes mínimos a 13 de fevereiro, perdendo o equivalente a uma área maior do que o México, informou esta quarta-feira a agência espacial norte-americana NASA.

  • Túmulo de Jesus Cristo restaurado

    Mundo

    Após 10 meses de obras de restauro, o túmulo onde Jesus Cristo terá sido sepultado foi esta quarta-feira revelado numa cerimónia na igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém.