sicnot

Perfil

País

Centros de saúde abertos no fim de semana para responder ao surto de gripe

Quarenta e seis centros de saúde estarão abertos no próximo sábado e 19 no domingo na Região de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo para responderem ao aumento da procura devido à gripe.

Em declarações à agência Lusa, o vice-presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco, confirmou uma "grande afluência" aos centros de saúde e aos hospitais devido à gripe, que "chegou mais cedo" este ano.

"Os centros de saúde têm uma rede para atender casos de doença aguda, à qual as pessoas podem recorrer se não tiverem necessidade de ir ao hospital", disse.

Segundo Luís Pisco, durante os dias da semana existem 31 locais da região que estão abertos depois das 20:00.

A título de exemplo, o responsável disse que, segunda-feira, foram feitas 1.800 consultas nos centros de saúde nesses locais. Na terça-feira, foram feitas nos centros de saúde da ARSLVT 36.000 consultas: 34.500 das 08:30 às 20:00 e 1.400 após as 20:00.

Questionado sobre a capacidade de resposta, Luís Pisco disse que os casos estão a ser monitorizados e que as equipas poderão ser reforçadas se isso for necessário.

"Se houver mais procura estamos preparados para reforçar as equipas e assim as pessoas não deixarem de ser atendidos", adiantou.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.