sicnot

Perfil

País

Jovens agressores de Almada proibidos pelo tribunal de estarem perto do agredido

Já são conhecidas as medidas cautelares a aplicar aos jovens que agrediram um rapaz de 15 anos em novembro, em Almada.

De acordo com o site da procuradoria da comarca de Lisboa, os três agressores ficam sujeitos "a obrigação de frequência escolar, com assiduidade e bom comportamento; proibição de se deslocarem e permanecerem em determinados locais frequentados pelo ofendido; proibição de contactarem, por qualquer meio, com o ofendido, e entre si."

As medidas foram aplicadas pela juíza do Tribunal de Família e Menores responsável pelo caso.

A agressão chegou a público a semana passada depois de o vídeo das agressões, filmado em novembro, ter-se tornado viral nas redes sociais.

  • Suspeitos de agredirem jovem em Almada ouvidos apenas dois meses depois
    3:41

    País

    Os menores suspeitos de terem agredido violentamente um jovem de 15 anos, em Almada, foram esta quarta-feira ouvidos pela primeira vez pelo Ministério Público, mais de dois meses depois das agressões. Os dados apurados pela SIC mostram que a investigação esteve praticamente adormecida durante todo este tempo. A lentidão começou logo no início do processo, com a participação do crime a demorar uma semana a chegar da PSP ao Ministério Público de Almada, por ter seguido por correio.

  • PSP não guardou prova apresentada pela mãe do jovem agredido em Almada
    2:29

    País

    O Ministério Público ainda não ouviu os alegados responsáveis pelas agressões a um jovem em Almada. A queixa foi apresentada pela mãe da vítima há dois meses, que na altura mostrou um dos vídeos que vieram a público. A PSP não terá guardado a prova. Esta quinta-feira, foram entregues novas imagens à polícia.

  • Vídeo de agressão a jovem de Almada vai servir de prova

    País

    A PSP diz que o vídeo publicado no Facebook em que um grupo de jovens agride violentamente um rapaz em Almada, vai servir de prova à investigação. Os agressores, todos menores, já foram identificados mas ainda não foram ouvidos pelo Ministério Público.