sicnot

Perfil

País

Portugal vai acolher 30 pessoas yazidi nas próximas semanas

© Ari Jalal / Reuters

Portugal vai acolher 30 pessoas da comunidade yazidi nas próximas semanas, anunciou o ministro Eduardo Cabrita, segundo o qual o país já acolheu mais de 900 refugiados recolocados, podendo chegar às mil pessoas até fevereiro.

A ser ouvido na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, na Assembleia da República, o ministro-Adjunto Eduardo Cabrita revelou que no decorrer das próximas duas semanas vai chegar um grupo de 30 pessoas da comunidade yazidi, familiares, que vão ser acolhidas na cidade de Guimarães.

Eduardo Cabrita acrescentou que ainda no decorrer do primeiro trimestre deste ano irão chegar mais cem pessoas da mesma comunidade, que serão acolhidas em Lisboa, destacando que Portugal poderá receber até 400 pessoas, tendo sido um dos únicos dois países europeus, a par com a Alemanha, que se disponibilizaram para acolher pessoas yazidi.

Os yazidi são uma comunidade étnico-religiosa que tem sido alvo de perseguições e massacres por parte dos terroristas do Daesh, como parte de uma campanha para retirar do Iraque e da Síria todas as influências não muçulmanas.

Igualmente presente na audição, a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade esclareceu que o acolhimento de pessoas da comunidade yazidi se insere no âmbito de programas específicos para acolhimento de grupos particularmente frágeis.

A par desta comunidade, Portugal está a preparar programas específicos para menores não acompanhados, num trabalho em conjunto com a Confederação Nacional de Instituições de Solidariedade (CNIS).

Catarina Marcelino adiantou que esteve na Grécia com a CNIS para estudar opções específicas de acolhimento para os menores não acompanhados, tendo verificado que a maior parte deles são de origem iraquiana e afegã e, por isso, fora do âmbito do programa de recolocação, com idades a partir dos 14, 15 anos.

Relativamente aos que estão incluídos no programa de recolocação, a secretária de Estado disse que está identificado um grupo de 20 a 25 jovens que aguardam decisão de um tribunal grego, que autorize a sua saída.

De acordo com a secretária de Estado, há capacidade para acolher 25 jovens de imediato, que iriam para instituições, não estando descartada a hipótese de no futuro poderem ser acolhidos por uma família, mas salientando que estão em causa jovens com histórias de vida com grandes traumas, desde abusos sexuais até à morte da família.

"Temos de garantir que não são rejeitados de forma nenhuma", defendeu, acrescentando que depois de acolhidos numa instituição, serão estudadas outras opções, como o apadrinhamento ou a adoção.

Relativamente ao fluxo de refugiados, o ministro Eduardo Cabrita disse que tem havido uma estabilização a partir da Grécia, havendo uma nova vaga a partir de Itália.

"Portugal tem continuado a afirmar estratégia para o acolhimento, com forte apoio local, desde sociedade civil e participação significativa de autarquias", referiu o ministro, acrescentando que o modelo português tem sido apontado internacionalmente como de referência.

Eduardo Cabrita revelou, a propósito, que Portugal já acolheu mais de 900 pessoas refugiadas, distribuídas por 81 autarquias, estimando que esse número chegue às mil até fevereiro.

Aproveitou igualmente para adiantar que 97% destes refugiados tem ensino da língua portuguesa, explicando que os outros 3% ou chegaram na semana passada e ainda não estão inseridos ou são casos de recusa.

Relativamente à inserção no mercado de trabalho, Eduardo Cabrita disse que era de 10% em junho do ano passado e que esse número passou para 25% atualmente.

Com Lusa

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03

    Mundo

    António Costa defendeu uma diplomacia pela paz. O primeiro-ministro português saiu em defesa da língua portuguesa e da presença do Brasil e da Índia no Conselho de Segurança das Nações Unidas. No discurso na Assembleia Geral da ONU, Costa salientou também o compromisso do país em relação ao multilateralismo e às questões ambientais.

  • Em Fátima só há escolas públicas no pré-escolar e 1.º ciclo
    2:48
  • "Só tive tempo de avisar o meu sogro e o meu marido e disse: corram!"
    2:17
  • Furacão Maria volta a ganhar força

    Mundo

    Apesar de ter perdido intensidade, após a passagem por Porto Rico, onde deixou um rasto de destruição, Maria voltou a ganhar força, é agora um furacão de categoria 3. Está a afetar a zona norte de Punta Cana, na República Dominicana com ventos que atingem os 90 km/há e move-se para o noroeste.

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.