sicnot

Perfil

País

Portugal vai acolher 30 pessoas yazidi nas próximas semanas

© Ari Jalal / Reuters

Portugal vai acolher 30 pessoas da comunidade yazidi nas próximas semanas, anunciou o ministro Eduardo Cabrita, segundo o qual o país já acolheu mais de 900 refugiados recolocados, podendo chegar às mil pessoas até fevereiro.

A ser ouvido na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, na Assembleia da República, o ministro-Adjunto Eduardo Cabrita revelou que no decorrer das próximas duas semanas vai chegar um grupo de 30 pessoas da comunidade yazidi, familiares, que vão ser acolhidas na cidade de Guimarães.

Eduardo Cabrita acrescentou que ainda no decorrer do primeiro trimestre deste ano irão chegar mais cem pessoas da mesma comunidade, que serão acolhidas em Lisboa, destacando que Portugal poderá receber até 400 pessoas, tendo sido um dos únicos dois países europeus, a par com a Alemanha, que se disponibilizaram para acolher pessoas yazidi.

Os yazidi são uma comunidade étnico-religiosa que tem sido alvo de perseguições e massacres por parte dos terroristas do Daesh, como parte de uma campanha para retirar do Iraque e da Síria todas as influências não muçulmanas.

Igualmente presente na audição, a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade esclareceu que o acolhimento de pessoas da comunidade yazidi se insere no âmbito de programas específicos para acolhimento de grupos particularmente frágeis.

A par desta comunidade, Portugal está a preparar programas específicos para menores não acompanhados, num trabalho em conjunto com a Confederação Nacional de Instituições de Solidariedade (CNIS).

Catarina Marcelino adiantou que esteve na Grécia com a CNIS para estudar opções específicas de acolhimento para os menores não acompanhados, tendo verificado que a maior parte deles são de origem iraquiana e afegã e, por isso, fora do âmbito do programa de recolocação, com idades a partir dos 14, 15 anos.

Relativamente aos que estão incluídos no programa de recolocação, a secretária de Estado disse que está identificado um grupo de 20 a 25 jovens que aguardam decisão de um tribunal grego, que autorize a sua saída.

De acordo com a secretária de Estado, há capacidade para acolher 25 jovens de imediato, que iriam para instituições, não estando descartada a hipótese de no futuro poderem ser acolhidos por uma família, mas salientando que estão em causa jovens com histórias de vida com grandes traumas, desde abusos sexuais até à morte da família.

"Temos de garantir que não são rejeitados de forma nenhuma", defendeu, acrescentando que depois de acolhidos numa instituição, serão estudadas outras opções, como o apadrinhamento ou a adoção.

Relativamente ao fluxo de refugiados, o ministro Eduardo Cabrita disse que tem havido uma estabilização a partir da Grécia, havendo uma nova vaga a partir de Itália.

"Portugal tem continuado a afirmar estratégia para o acolhimento, com forte apoio local, desde sociedade civil e participação significativa de autarquias", referiu o ministro, acrescentando que o modelo português tem sido apontado internacionalmente como de referência.

Eduardo Cabrita revelou, a propósito, que Portugal já acolheu mais de 900 pessoas refugiadas, distribuídas por 81 autarquias, estimando que esse número chegue às mil até fevereiro.

Aproveitou igualmente para adiantar que 97% destes refugiados tem ensino da língua portuguesa, explicando que os outros 3% ou chegaram na semana passada e ainda não estão inseridos ou são casos de recusa.

Relativamente à inserção no mercado de trabalho, Eduardo Cabrita disse que era de 10% em junho do ano passado e que esse número passou para 25% atualmente.

Com Lusa

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • Sociedade de Pneumologia recomenda cuidados com calor e incêndios

    País

    A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) alertou esta quarta-feira para os riscos respiratórios decorrentes dos incêndios e temperaturas elevadas, sobretudo para quem sofre de doenças crónicas, propondo medidas preventivas e recordando o aumento de mortalidade associado ao calor.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14
  • Mulher vive sozinha numa ilha há 40 anos

    Mundo

    Zoe Lucas é a única pessoa a viver numa ilha canadiana, no norte do Atlântico. Nas últimas quatro décadas, a mulher de 67 tem partilhado a ilha Sable com cerca de 400 cavalos selvagens e 350 espécies de pássaros.