sicnot

Perfil

País

Quatro distritos do norte do país sob ''Aviso Amarelo'' devido a chuva forte

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto e Vila Real estão hoje sob 'Aviso Amarelo' devido à previsão de chuva persistente, por vezes forte, informou hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O aviso de chuva para os quatro distritos vai estar em vigor até às 12:00 de hoje, segundo a informação publicada no 'site' do IPMA.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou também sob 'Aviso Amarelo', até às 00:00, as ilhas açorianas das Flores e do Corvo devido à previsão de vento forte. O 'Aviso Amarelo', o terceiro mais grave de uma escala de quatro, indica situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado, com abertas na região Sul.

As previsões apontam para períodos de chuva, em especial nas regiões norte e centro, podendo ser por vezes forte no litoral a norte do Cabo Raso até final da manhã.

Prevê-se ainda queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até meio da manhã.

O vento soprará fraco a moderado de sudoeste, soprando moderado no litoral a norte do Cabo Raso até meio da tarde, e forte com rajadas até 70 km/h nas terras altas das regiões Norte e Centro.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.