sicnot

Perfil

País

Manuel Alegre elogia "geringonça" mas aconselha "aprofundamento de convergência"

"Quando ganhamos, ganhamos todos. Quando perdemos, perdemos todos. Ele [Costa] assumiu a sua responsabilidade mas não pode haver bodes expiatórios, nem o PS agora pode implodir pelo facto de ter perdido uma eleição, o que é normal em democracia", declarou o ex-candidato presidencial.

Lusa

O antigo candidato presidencial Manuel Alegre elogiou esta terça-feira a "solução política" que a "direita despeitada chamou de geringonça", mas vincou que é preciso "aprofundar a convergência", referindo-se ao entendimento entre PS, PCC/PEV e Bloco de Esquerda.

"Em Portugal foi aberto um caminho pioneiro nesta Europa. Um Governo do PS apoiado por PCP, Bloco de Esquerda e PEV. Honro-me de ter sido sempre um dos defensores desta solução mesmo quando ela parecia impossível (...). Quero sublinhar a coragem e a inteligência de António Costa, Jerónimo de Sousa, Catarina Martins e Heloísa Apolónia", disse Manuel Alegre que discursava no Porto num jantar organizado pelo Movimento de Intervenção e Cidadania.

O ex-candidato presidencial defendeu que com a união dos partidos de esquerda "acabou o mito do arco da governação que amputava a democracia", mas considerou que a "solução" que adjetivou de "pioneira" tornou "mais forte a democracia, mas que não basta a estabilidade conseguida".

"A direita despeitada chamou-lhe geringonça, mas a geringonça restituiu a confiança e está a fazer o seu caminho com a cooperação institucional do PR (...). Mas como demonstrou a questão da TSU, não basta a capacidade política de António Costa e a abertura negocial dos partidos à esquerda do PS. É preciso aprofundar a convergência onde ela é possível e necessária por forma a tornar mais consistente esta solução de Governo tão importante para Portugal e para a Europa", referiu Manuel Alegre.

Antes, o histórico socialista falou da eleição de Donald Trump, apontando que a data da tomada de posse do novo Presidente dos EUA "marca o fim de um mundo como o conhecemos e inicia uma era em que não se sabe como o mundo vai ser".

"A globalização já não é o que era. A ordem política internacional também não e vai provavelmente arrogar a uma grande desordem internacional", disse Alegre, refletindo na necessidade do mundo se perguntar "como possível que Trump tenha sido eleito.

"Os povos não se têm sentido representados, deixaram de acreditar em alternativas dentro do sistema (...). Na Europa, pelas mesmas razões velhos bastiões da esquerda estão a voltar-se para a extrema-direita", analisou.

Sobre o Euro, admitindo que não é um "Euro-cético", mas também não é um "Euro-beato", Manuel Alegre, defendeu que o Euro tem de ser reformado" porque "se isso não acontecer a Europa, e agora sobretudo depois do que está a acontecer na América, corre o risco de se desagregar".

"Alguns partidos de centro-esquerda abandonaram aqueles que deviam defender e em desespero viram-se para as forças populistas. Só no ano passado na Europa num total de 18 eleições, os socialistas perderam 12. Nesta ano de 2017 o cenário não parece nada promissor designadamente em França, Holanda, Itália e Alemanha. A ameaça populista cresce", referiu.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59