sicnot

Perfil

País

Demolições de apoios da praia de Monte Gordo adiadas para outubro

As demolições dos apoios balneares da praia de Monte Gordo, em Vila Real de Santo António, previstas para este mês, foram adiadas para outubro, para que os concessionários possam trabalhar durante o verão, anunciou hoje o município.

A vice-presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, citada num comunicado da autarquia, indicou que o adiamento das demolições "foi tomada por todas as partes envolvidas, de forma a preservar a atividade económica" da praia de Monte Gordo.

O acordo foi estabelecido entre a Agência Portuguesa do Ambiente, o município de Vila Real de Santo António, a Capitania do Porto e os concessionários da praia de Monte Gordo.

O início da demolição dos 18 apoios de praia estava previsto para 22 de fevereiro, no âmbito da requalificação daquela praia algarvia, ao abrigo do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura-Vila Real de Santo António.

O plano prevê 18 novos apoios de praia, que vão substituir os antigos à medida que as novas estruturas forem sendo construídas.

"Todos os concessionários podem trabalhar de forma tranquila durante o próximo verão e terão mais tempo para proceder às necessárias obras de requalificação, uma vez que as atuais construções só serão demolidas à medida que as novas estiverem concluídas", destacou a vice-presidente da autarquia.

A obra prevê também a colocação de um passadiço pedonal com dois quilómetros de extensão ao longo de toda a frente marítima, um investimento de um milhão de euros, cuja construção deverá ter início este mês e a conclusão em maio.

O novo passadiço vai garantir o acesso a todos os apoios de praia, que podem funcionar até ao dia 15 de outubro, ficando os concessionários obrigados à demolição e à construção dos novos estabelecimentos até ao dia 08 de fevereiro de 2018.

A autarquia de Vila Real de Santo António revelou ainda que "conseguiu obter financiamento para a construção do passadiço através de fundos comunitários na ordem dos 85% a 90%", evitando que fossem os concessionários "a pagar a obra, de acordo com a legislação em vigor".

"Ao encontrarmos este financiamento e ao suportarmos os projetos de arquitetura, vamos fazer com que cada concessionário possa poupar cerca de 70 mil euros, valor que poderá ser aplicado na construção dos novos apoios de praia", concluiu a vice-presidente da autarquia.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • Bastidores do sambódromo: um espétaculo à parte
    3:22
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.