sicnot

Perfil

País

Demolições de apoios da praia de Monte Gordo adiadas para outubro

As demolições dos apoios balneares da praia de Monte Gordo, em Vila Real de Santo António, previstas para este mês, foram adiadas para outubro, para que os concessionários possam trabalhar durante o verão, anunciou hoje o município.

A vice-presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, citada num comunicado da autarquia, indicou que o adiamento das demolições "foi tomada por todas as partes envolvidas, de forma a preservar a atividade económica" da praia de Monte Gordo.

O acordo foi estabelecido entre a Agência Portuguesa do Ambiente, o município de Vila Real de Santo António, a Capitania do Porto e os concessionários da praia de Monte Gordo.

O início da demolição dos 18 apoios de praia estava previsto para 22 de fevereiro, no âmbito da requalificação daquela praia algarvia, ao abrigo do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura-Vila Real de Santo António.

O plano prevê 18 novos apoios de praia, que vão substituir os antigos à medida que as novas estruturas forem sendo construídas.

"Todos os concessionários podem trabalhar de forma tranquila durante o próximo verão e terão mais tempo para proceder às necessárias obras de requalificação, uma vez que as atuais construções só serão demolidas à medida que as novas estiverem concluídas", destacou a vice-presidente da autarquia.

A obra prevê também a colocação de um passadiço pedonal com dois quilómetros de extensão ao longo de toda a frente marítima, um investimento de um milhão de euros, cuja construção deverá ter início este mês e a conclusão em maio.

O novo passadiço vai garantir o acesso a todos os apoios de praia, que podem funcionar até ao dia 15 de outubro, ficando os concessionários obrigados à demolição e à construção dos novos estabelecimentos até ao dia 08 de fevereiro de 2018.

A autarquia de Vila Real de Santo António revelou ainda que "conseguiu obter financiamento para a construção do passadiço através de fundos comunitários na ordem dos 85% a 90%", evitando que fossem os concessionários "a pagar a obra, de acordo com a legislação em vigor".

"Ao encontrarmos este financiamento e ao suportarmos os projetos de arquitetura, vamos fazer com que cada concessionário possa poupar cerca de 70 mil euros, valor que poderá ser aplicado na construção dos novos apoios de praia", concluiu a vice-presidente da autarquia.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59