sicnot

Perfil

País

Marcelo fala demais?

Marcelo fala demais?

Esta segunda-feira ficou marcada com as declarações de Marcelo Rebelo de Sousa. Das críticas à Troika ao seu otimismo quanto ao processo do Novo Banco, o Presidente da República fala praticamente todos os dias, responde a quase tudo o que lhe é perguntado, comenta a atualidade e, por vezes, até dá notícias ... antes de tempo.

  • Marcelo considera que situação na banca "está-se a compor"
    2:51

    Economia

    Marcelo Rebelo de Sousa acusou as instituições internacionais de terem ignorado o que passava na banca em Portugal mas diz que o setor "está-se a compor". Em reação ao relatório da OCDE, conhecido esta segunda-feira, o Presidente da República diz que o país está "a dois passos" de resolver os principais problemas da banca e aponta o dedo à Troika, a quem atribui a responsabilidade pelo agravamento do problema.

  • O país que decida. Marcelo falou demais?

    País

    Não é a primeira vez que as declarações do Presidente da República geram controvérsia. Marcelo anunciou a decisão da Fitch sobre Portugal antes mesmo da agência se pronunciar. A discussão ferve nas redes sociais.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.