sicnot

Perfil

País

Santa Sé terá aprovado segundo "milagre" atribuído aos pastorinhos

1917 - Relato da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima, em Portugal, segundo os pastores Lúcia, Jacinta e Francisco Marto.

REUTERS

A Santa Sé terá já aprovado um segundo "milagre" atribuído aos pastorinhos de Fátima. A informação foi avançada informalmente em Roma, por um padre português, e dada a conhecer esta manhã pelo jornal Notícias de Setúbal, da diocese.

Para que os videntes de Fátima, Francisco e Jacinta, sejam considerados santos, com direito a culto universal na Igreja, a Santa Sé tem de reconhecer uma segunda cura sem explicação científica, atribuída à intercessão dos beatos.

O caso em análise, e que terá já sido deferido, é o de uma criança brasileira, mas não foram adiantados mais pormenores.

O anúncio pode ser feito nos próximos dias, deixando no ar a possibilidade de Francisco canonizar ou anunciar o anúncio da canonização dos pastorinhos de Fátima, durante a visita ao santuário no próximo mês de maio.

Francisco e Jacinta foram beatificados no ano 2000, em Fátima, por João Paulo II.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras