sicnot

Perfil

País

IPMA alarga previsão de chuva forte a todo o arquipélago dos Açores

O IPMA colocou 15 distritos de Portugal Continental em aviso amarelo, o segundo numa escala de quatro, no domingo devido à queda de neve, ao vento e à agitação marítima.

© Arko Datta / Reuters

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) estendeu esta terça-feira a todo o arquipélago dos Açores o aviso amarelo devido à previsão de chuva forte.

O IPMA tinha emitido um aviso amarelo para as sete ilhas dos grupos central e oriental devido à precipitação, que alargou agora às duas ilhas do grupo ocidental.

Segundo o IPMA, o aviso amarelo para precipitação vigora a partir das 19:00 locais (mais uma hora em Lisboa) e as 07:00 de quarta-feira nas ilhas do grupo central, Faial, Pico, Terceira, São Jorge e Graciosa.

O IPMA também colocou as ilhas do grupo oriental, Santa Maria e São Miguel, sob aviso amarelo para chuva entre as 23:00 de hoje e as 17:00 de quarta-feira.

Já nas ilhas das Flores e do Corvo, do grupo ocidental, o aviso amarelo para chuva mantém-se a partir das 16:00 até às 01:00 de quarta-feira.
Nestas duas ilhas, o IPMA emitiu, igualmente, um aviso amarelo para agitação marítima, entre as 17:00 de quarta-feira e as 07:00 de quinta-feira, sendo previsível ondas de noroeste de seis a sete metros.

O IPMA justifica os avisos amarelos com "a passagem de um sistema frontal com atividade moderada a forte", que deverá "provocar um agravamento do estado do tempo nos Açores".

O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de três, significa uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Lusa

  • Costa acima do Tejo sob aviso amarelo

    País

    A costa norte e centro de Portugal continental tem hoje aviso amarelo - o terceiro numa escala de quatro - por causa da agitação marítima, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.