sicnot

Perfil

País

Pais querem mais ação na luta contra a indisciplina nas escolas

© Lisi Niesner / Reuters

A Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais (FERLAP) defendeu esta quarta-feira que mais do que falar sobre a indisciplina escolar é preciso agir porque o problema é velho e tem vindo a agravar-se, apesar dos sucessivos alertas.

"A FERLAP vem desde há muito alertando para uma situação que se tem vindo a agravar com o passar do tempo, sem que nada de concreto tenha sido feito para a resolver", escreve a federação a propósito da indisciplina nas escolas, um dia depois de um estudo que envolveu perto de 54 mil alunos ter revelado que no ano letivo 2015/2016 houve mais de 11.000 participações disciplinares.

"Talvez esteja na altura de alterarmos as coisas, talvez esteja na altura de deixarmos de reagir e passarmos a agir para prevenir", alerta a FERLAP, que aponta algumas das sugestões que tem feito ao longo dos anos: colocar animadores nos recreios das escolas a dinamizar jogos e diversões, identificando logo qualquer pequeno conflito que possa ocorrer.

"Hoje, os quase 43 anos de Democracia não produziram o que se esperava de uma Revolução, continuamos a ser um povo conformista e reagente, apenas nos preocupamos depois de acontecer, falamos muito e fazemos pouco, acrescenta.

O Ministério da Educação desdramatiza, sublinhando que os dados reportados pelas escolas indicam que em 2014/2015 foram instaurados 215 procedimentos disciplinares que originaram transferência de escola (a medida mais gravosa), o que representa 0,01% do total dos mais de um milhão de alunos.

Contudo, o autor do estudo fala em "mais de 11 mil participações disciplinares (ordem de saída da sala de aula) em apenas 5,4% da totalidade dos agrupamentos/escolas em Portugal, num universo de 53.664 alunos", frisando que, "extrapolando para uma amostragem da totalidade dos agrupamentos/escolas em Portugal levaria a um número de mais de 206 mil participações disciplinares num só ano".

O estudo, da responsabilidade de Alexandre Henrique, responsável do blogue de Educação ComRegras, foi feito em parceria com a Associação Nacional de Diretores de Agrupamento e Escolas Públicas (ANDAEP).

"Estamos perante a ponta do icebergue. O Ministério de Educação e sociedade em geral têm que ter consciência de que a indisciplina é um problema recorrente e grave na sala de aula. Basta um aluno para estragar uma aula e nem precisa de insultar ou agredir para que o processo de ensino de aprendizagem seja posto em causa", alerta Alexandre Henriques.

No novo estudo, a que a agência Lusa teve acesso, lê-se também que o ciclo de ensino onde ocorreram mais participações disciplinares em 2015-2016 é o 3.º ciclo (61,70%), sendo o 1.º ciclo o que menos registos obteve, ficando por 2,13%.

Segundo o Ministério da Educação, no ano letivo 2015/2016 foram registados na Plataforma de Registo de Ocorrências de Segurança Escolar um total de 686 casos, a maioria (386) atos contra a liberdade e a integridade física das pessoas.

O valor total é pouco mais de metade das ocorrências registadas em 2014/2015, que chegaram às 1.131, menos do que no ano anterior (1.321).

Lusa

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.