sicnot

Perfil

País

Marcelo felicitou o novo Presidente alemão e convidou-o a visitar Portugal

O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou este domingo o alemão Frank-Walter Steinmeier pela sua eleição como Presidente da República Federal da Alemanha, convidando-o a visitar Portugal para "estreitar" os laços que unem os dois países.

"O Presidente da República endereçou a Frank-Walter Steinmeier calorosas felicitações por motivo da sua eleição como Presidente da República Federal da Alemanha", lê-se numa mensagem publicada hoje do 'site' da Presidência da República Portuguesa.

O social-democrata Frank-Walter Steinmeier foi hoje eleito presidente alemão pelos membros do parlamento, em substituição de Joachim Gauck, antigo pastor dissidente da Alemanha de Leste. O antigo chefe da diplomacia alemã até final de janeiro foi eleito por 931 votos, num total de 1.239 grandes eleitores, na Assembleia Federal.

Na mensagem enviada a Frank-Walter Steinmeier, Marcelo Rebelo de Sousa sublinha "as excelentes relações bilaterais existentes entre Portugal e a Alemanha, países que partilham o mesmo destino europeu e a mesma visão de uma União Europeia como espaço de paz, estabilidade, segurança e prosperidade".

Marcelo Rebelo de Sousa aproveita para convidar o hoje eleito Presidente alemão a visitar Portugal "com o objetivo de estreitar ainda mais os sólidos laços de amizade e respeito que unem a Alemanha a Portugal".

Steinmeier, de 61 anos, vai assumir a presidência, um cargo sobretudo com funções representativas, a 18 de março.

Tido como "anti-Trump", Steinmeier surge nas sondagens alemãs como um político popular e na aceitação do mandato de cinco anos comprometeu-se em promover o diálogo e a democracia nestes "tempos tempestivos" e quando muitos cidadãos receiam que o mundo "se desfaça".

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.