sicnot

Perfil

País

Situação de seca cai para metade num mês

(AP/ Arquivo)

A chuva dos últimos dias reduziu as zonas em situação de seca fraca de 98% para 57% do território de janeiro para fevereiro. O mês que até foi classificado pela meteorologia como "quente" foi suficiente para retirar quase toda a região Norte, interior Centro e Algarve da situação de seca.

De acordo com o Boletim Climatológico do IPMA no final de fevereiro, 57,2% do território encontrava-se em situação de seca fraca, quando em janeiro a percentagem era de 98% do território. Apenas o barlavento (sudoeste) algarvio não estava em seca.

Já no final de fevereiro apenas 21,9% do território estava em situação de "seca normal" e 20,9% em "chuva fraca".O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

O mês de fevereiro, em Portugal continental, classificou-se como normal em relação à quantidade de precipitação e quente em relação à temperatura do ar.

De acordo com o Instituto, o valor médio da temperatura média do ar em fevereiro foi de 11,05 graus Celsius, ou seja, acima do normal, sendo o 9.º mais quente desde 1931."

O valor médio da temperatura máxima (15,79 graus Celsius) foi superior ao valor normal, sendo o 8.º valor mais alto desde 1931", é referido no boletim.

Segundo o documento, o total da precipitação foi cerca de 113%, o que permite classificar este mês como normal.Contudo, o IPMA destaca que no início de fevereiro, devido à passagem de sucessivas perturbações frontais, registaram-se períodos de chuva, em especial nas regiões do Norte e Centro, por vezes forte no Minho e no Douro Litoral.

O IPMA adianta ainda que ocorreu vento moderado a forte no litoral oeste, com rajadas da ordem dos 60/80 quilómetros por hora, e forte a muito forte nas terras altas, com rajadas da ordem dos 100/110 quilómetros por hora.

No que diz respeito às temperaturas, o menor valor da mínima foi registado a 08 de fevereiro em Miranda do Douro, distrito de Bragança, (-3,8 graus Celsius), e a máxima em Ponte de Lima, distrito do Braga, no dia 22 (com 24,5 graus).

Com Lusa

  • Tragédia de Pedrógão Grande, seis meses depois

    País

    O incêndio que deflagrou há seis meses no concelho de Pedrógão Grande e que alastrou a concelhos vizinhos fez 66 mortos e 253 feridos, sete dos quais graves, destruiu meio milhar de casas e quase 50 empresas. Quarenta e sete das vítimas mortais seguiam em viaturas, no dia 17 de junho, e ficaram cercadas pelas chamas na EN (estrada nacional) 236-1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos ou em acessos a esta via.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC