sicnot

Perfil

País

Situação de seca cai para metade num mês

(AP/ Arquivo)

A chuva dos últimos dias reduziu as zonas em situação de seca fraca de 98% para 57% do território de janeiro para fevereiro. O mês que até foi classificado pela meteorologia como "quente" foi suficiente para retirar quase toda a região Norte, interior Centro e Algarve da situação de seca.

De acordo com o Boletim Climatológico do IPMA no final de fevereiro, 57,2% do território encontrava-se em situação de seca fraca, quando em janeiro a percentagem era de 98% do território. Apenas o barlavento (sudoeste) algarvio não estava em seca.

Já no final de fevereiro apenas 21,9% do território estava em situação de "seca normal" e 20,9% em "chuva fraca".O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

O mês de fevereiro, em Portugal continental, classificou-se como normal em relação à quantidade de precipitação e quente em relação à temperatura do ar.

De acordo com o Instituto, o valor médio da temperatura média do ar em fevereiro foi de 11,05 graus Celsius, ou seja, acima do normal, sendo o 9.º mais quente desde 1931."

O valor médio da temperatura máxima (15,79 graus Celsius) foi superior ao valor normal, sendo o 8.º valor mais alto desde 1931", é referido no boletim.

Segundo o documento, o total da precipitação foi cerca de 113%, o que permite classificar este mês como normal.Contudo, o IPMA destaca que no início de fevereiro, devido à passagem de sucessivas perturbações frontais, registaram-se períodos de chuva, em especial nas regiões do Norte e Centro, por vezes forte no Minho e no Douro Litoral.

O IPMA adianta ainda que ocorreu vento moderado a forte no litoral oeste, com rajadas da ordem dos 60/80 quilómetros por hora, e forte a muito forte nas terras altas, com rajadas da ordem dos 100/110 quilómetros por hora.

No que diz respeito às temperaturas, o menor valor da mínima foi registado a 08 de fevereiro em Miranda do Douro, distrito de Bragança, (-3,8 graus Celsius), e a máxima em Ponte de Lima, distrito do Braga, no dia 22 (com 24,5 graus).

Com Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão