sicnot

Perfil

País

Dia de Portugal comemorado no Porto e no Brasil

ANTONIO COTRIM

Segundo o despacho publicado hoje em Diário da República o Porto surge "como sede das comemorações, em 2017, do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, estendendo-se as celebrações às comunidades portuguesas no Rio de Janeiro e em São Paulo".

Fonte da Presidência da República adiantou à agência Lusa que em 09 e 10 de junho as comemorações decorrem no Porto, devendo Marcelo Rebelo de Sousa viajar ainda no dia 10 para o Brasil, regressando a Lisboa no dia 12 de junho.
O primeiro-ministro, António Costa, também estará presente nas comemorações no Porto e no Brasil.


O mesmo despacho publicado em Diário da República estabelece que a organização das comemorações é presidida pelo professor e investigador Manuel Sobrinho Simões.


Integra também "o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, General Artur Neves Pina Monteiro, o Chefe do Protocolo do Estado, Embaixador António Almeida Lima, e o Secretário-Geral da Presidência da República, Dr. Arnaldo Pereira Coutinho".


O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, prometeu em 22 de setembro do ano passado, em Newark, nos Estados Unidos da América, que iria estar com o primeiro-ministro fora do país a comemorar o 10 de Junho junto das comunidades portuguesas "ano após ano".


Inicialmente, o chefe de Estado tinha anunciado a intenção de celebrar o Dia de Portugal fora do país de dois em dois anos.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15