sicnot

Perfil

País

7,8 milhões de portugueses consomem muito sal

© Eddie Keogh / Reuters

Cerca de 3,5 milhões de mulheres (65,5%) e 4,3 milhões de homens (85,9%) em Portugal apresentam uma ingestão de sal acima do nível tolerado, segundo indica o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física (IAN-AF), apresentado hoje no Porto.

O sal (cloreto de sódio) é "um dos nutrientes para os quais se estimou maior inadequação", tendo-se verificado "o importante contributo de alimentos como o pão, os produtos de charcutaria e a sopa" para esse elevado consumo, explicou à Lusa a investigadora da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), Carla Lopes.

Este é um dos resultados do IAN-AF, projeto liderado pela Universidade do Porto (UP) que, ao longo de um ano, avaliou mais de 6.500 pessoas, com idades compreendidas entre os três meses e os 84 anos, em todas as regiões do país.

No inquérito foi avaliado o consumo alimentar da população portuguesa, incluindo os tipos de alimentos consumidos, os nutrientes, os suplementos alimentares e nutricionais e outros comportamentos de risco, os níveis de insegurança alimentar e de atividade física, tendo a recolha de dados decorrido entre outubro de 2015 e setembro de 2016.

Muita carne e muitos refrigerantes

Outra das conclusões indica que "o consumo de carne vermelha, associado a risco de cancro do cólon (mais de 100 gramas por dia), é realizado por mais de 3,5 milhões de portugueses (34% da população)", referiu Carla Lopes, também investigadora do Instituto de Saúde Pública do Porto da Universidade do Porto (ISPUP), envolvido no projeto.

Segundo indica, um em cada dois indivíduos não consome a quantidade de fruta e produtos hortícolas recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que aumenta a probabilidade de inadequação de nutrientes, como a fibra, e de micronutrientes, como o folato, o potássio e o cálcio.

Aproximadamente 1,5 milhões de pessoas (17% da população) "consomem pelos menos um refrigerante ou néctar por dia", indicou a especialista, acrescentando que a prevalência é maior nos adolescentes (40,6%).

Idosos consomem muito álcool

O consumo elevado de álcool foi também verificado neste inquérito, em particular nos idosos, registando-se em 5% desse grupo a ingestão de um litro de bebida alcoólica por dia, sendo o vinho o produto mais frequentemente consumido.

Na população com mais de 15 anos, 5,4% das mulheres e 24,3% dos homens "consome álcool excessivamente", alerta a investigadora, que vê a ingestão de açúcares acima das recomendações (15% da população, número que aumenta para 31% nos adolescentes) como outro dos resultados mais preocupantes.

Pouca atividade física

De acordo com a coordenadora do IAN-AF, o nível de atividade física registado "é baixo" e "apenas em 27% da população os indivíduos com mais de 15 anos foram considerados fisicamente ativos", o que equivale à prática de uma hora ou mais de atividades moderadas por dia ou 30 minutos de atividade vigorosa.

Nos jovens entre os 15 e os 21 anos "é relevante a diferença entre os sexos", havendo 50% ativos no sexo masculino e apenas 20% no sexo feminino, estando as regiões de Lisboa, Alentejo e Algarve associadas a um maior grau de sedentarismo.

Dada a baixa prevalência de indivíduos classificados como fisicamente ativos, as medidas a implementar devem considerar "não apenas o aumento das atividades de lazer e desportivas mas uma mudança de hábitos no dia-a-dia" da população, salientou Carla Lopes.

Outros dados demonstram que apenas 41,4% das mulheres grávidas fez suplementação com ácido fólico antes de engravidar e que, no período entre 2015 e 2016, 10% das famílias em Portugal experimentaram insegurança alimentar, ou seja, tiveram dificuldade de fornecer alimentos suficientes a toda a família, devido à falta de recursos financeiros.

Segundo a investigadora, o primeiro inquérito alimentar nacional foi em 1980. Este realizado agora, que inclui de forma inédita todas as regiões de Portugal continental e ilhas, "vem não só cobrir a falta de informação de indicadores de saúde nestas áreas de avaliação", mas também "permitir a sua comparação com países europeus".

O IAN-AF é apresentado hoje, na Reitoria da Universidade do Porto (UP), num evento que inclui um debate sobre a importância dos resultados para a definição de políticas públicas.

Este projeto, no qual participaram 15 investigadores e mais de 60 colaboradores, foi desenvolvido por um consórcio liderado pela UP, com o contributo das faculdades de Medicina, de Ciências da Nutrição e Alimentação e de Desporto, bem como do ISPUP.

Envolveu ainda o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, as faculdades de Medicina e de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa, a Faculdade de Medicina da Universidade de Oslo (Noruega) e a empresa SilicoLife, tendo sido financiado pelo programa EEAGrants - Iniciativas em Saúde Pública.

Os resultados do inquérito nacional vão ser apresentados também em Lisboa, na sexta-feira, na Fundação Calouste Gulbenkian.

Lusa

  • "Quase 6 milhões de portugueses são obesos ou estão na pré-obesidade"
    1:36

    País

    Os portugueses estão a ingerir carne a mais e o açucar e o sal também estão a ser ingeridos em excesso. Estas são algumas das conclusões do Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física (IAN-AF), apresentado hoje no Porto. Segundo a coordenadora do IAN-AF, Carla Lopes, "quase 6 milhões de portugueses são obesos ou estão na pré-obesidade".

  • Somos (mesmo) o que comemos

    País

    Sabe quanto açúcar e quanto sal põe, diariamente, no prato dos seus filhos? Hoje relembramos a Grande Reportagem "Somos o que comemos", em formato interativo e muitos extras.

  • O que o mundo diz sobre o busto de Cristiano Ronaldo

    Desporto

    O Aeroporto Cristiano Ronaldo foi inaugurado esta quarta-feira. A notícia foi dada pelos meios de comunicação de todo o mundo, que não deixaram passar o busto do jogador português, apresentado pelo próprio. A estátua foi amplamente comentada e analisada, com palavras como "terrível", "duvidoso" e "bizarro".

    Ana Rute Carvalho

  • Mulher detida ao tentar atropelar polícias junto ao Capitólio, em Washington

    Mundo

    Agentes da polícia abriram fogo contra uma mulher (e não um homem, ao contrário do que inicialmente se disse) que conduzia um carro perto do Capitólio e tentava atropelá-los, segundo o Departamento da Polícia Metropolitana de Washington. A mulher foi detida mas a polícia garante que não se tratou de um ato terrorista.

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.