sicnot

Perfil

País

Os excessos dos portugueses à mesa

Os excessos dos portugueses à mesa

3,5 milhões comem carne a mais. Também se está a ingerir açúcar e sal em excesso. Mais de metade são obesos ou têm pré-obesidade. São surpreendentes os resultados de um estudo sobre os hábitos alimentares dos portugueses. 

O Inquérito Nacional de Alimentação e Atividade Física não se fazia há 35 anos e há novos hábitos preocupantes, que aumentam o risco de cancro e doenças crónicas.

Há excessos e défices e 21% dos alimentos que os portugueses consomem nem aparecem na roda dos alimentos ou nem sequer fazem falta ao corpo, como os cereais ao pequeno-almoço, doces, bolachas açucaradas, snacks salgados ou pizzas e refrigerantes.

Por outro lado, os portugueses abusam no consumo de lacticínios e, em média, comem também, três vezes mais carne, ovos e peixe do que deviam. O défice é notório nas leguminosas, cereais, tubérculos, produtos hortícolas, e fruta, aponta Carla Lopes, coordenadora do Inquérito Nacional de Alimentação e Atividade Física.

O estudo revela ainda que apenas 27% dos portugueses são ativos, ou seja, fazem exercício diário. Uma mão cheia de hábitos errados que dá que pensar.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.