sicnot

Perfil

País

Sindicato da PSP realiza hoje "desfile de protesto"

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) realiza hoje "um desfile de protesto", em Lisboa, para exigir ao Governo que resolva com "a máxima urgência" os problemas essenciais do setor.

O "desfile de protesto", que se realiza às 18:00 entre Santos e São Bento, termina com a entrega de um documento reivindicativo na residência oficial do primeiro-ministro, do qual fazem parte as "questões essenciais" que afetam os polícias e a própria PSP, disse à agência Lusa o presidente da ASPP.

"É um documento que espelha as reivindicações e as preocupações", adiantou Paulo Rodrigues, sublinhando que há questões que têm que ser resolvidas "a curto prazo" e outras, como a falta de equipamentos, viaturas e condições nas instalações policiais, têm que ser solucionadas até ao final do ano.

O presidente do maior sindicato da PSP sublinhou que os polícias exigem ao Governo a conclusão dos concursos abertos em 2016 para todas as categorias, publicação da lista de antiguidades e da lista dos 800 profissionais que reúnem os requisitos para a pré-aposentação, além do descongelamento dos índices remuneratórios e a eliminação do fator de sustentabilidade a todos os aposentados.

Os polícias exigem também a "rápida homologação das avaliações de 2016", uma vez que o aumento dos dias de férias só se pode concretizar através desta via, e cumprimento do estatuto profissional.

"Estas questões estão a ser empurradas e basta vontade política", disse, sublinhando que os polícias exigem que Governo as solucione até junho, caso contrário novas ações de protestos vão realizar-se.

Paulo Rodrigues disse ainda que, até ao final do ano, o Governo tem que começar a solucionar os problemas relacionados com a atividade operacional da Polícia de Segurança Pública, como a falta de meios, equipamentos e viaturas.

O presidente da ASPP apontou ainda como problema da PSP "a grande falta de efetivo" e "a média de idade alta".O "desfile de protesto" da ASPP é a segunda ação de luta organizada por um sindicato de polícia esta semana.Na quarta-feira, o Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP realizou uma vigília em frente à direção nacional da polícia, em Lisboa, para chamar a atenção para a falta de meios e envelhecimento do efetivo.

Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.