sicnot

Perfil

País

"Angola, um país rico com 20 milhões de pobres" vence Prémio de Reportagem Cáceres Monteiro

Vítimas de um despejo coercivo, o professor Francisco Chacola, a mulher - grávida de 6 meses - e os 2 filhos bebés foram atirados para a mata pelas autoridades angolanas. Durante semanas, dormiram ao relento com outras 3 mil famílias - desprotegidos do frio, dos perigos da mata e das chuvas de março.

A Grande Reportagem da SIC "Angola, um país rico com 20 milhões de pobres" venceu o Prémio de Reportagem Cáceres Monteiro 2016.

O trabalho é da jornalista Susana André, com imagem de Carlos Morais, edição de imagem de Tiago Martins e grafismo de Marta Coelho. Foi o vencedor do prémio atribuído pela Impresa, que anualmente distingue os melhores trabalhos de reportagem do grupo.

Houve duas menções honrosas para o programa "E se fosse consigo?" apresentado por Conceição Lino e o trabalho "Em nome do pai", da jornalista do Expresso Luciana Leiderfarb.

  • Angola, um país rico com 20 milhões de pobres
    44:31

    Grande Reportagem SIC

    Na última década, registou um dos maiores crescimentos económicos do mundo mas manteve-se líder nos índices de mortalidade infantil. Uma semana depois de se assinalarem os 41 anos da independência de Angola, a Grande Reportagem SIC mostra-lhe um país que tem um dos maiores consumos de champanhe per capita e onde 70% da população vive com menos de dois dólares por dia.

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Cenário mais estável no Sardoal
    0:55

    País

    O presidente da Câmara do Sardoal, Miguel Borges, disse esta manhã que a situação está mais calma. No entanto, o autarca pede que não se desmobilizem os meios porque a situação pode mudar de forma imprevisivel. Miguel Borges alertou ainda para o cansaço dos bombeiros e agentes da Proteção Civil.

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.