sicnot

Perfil

País

Morreram as duas crianças que desapareceram no Rio Vouga

Uma menina de 14 anos e um menino de 11 morreram este domingo depois de terem desaparecido no rio Vouga, em Águeda. A menina ainda foi resgatada inconsciente e transportada para o Hospital de Aveiro em manobras de reanimação, mas acabou por não resistir. O irmão foi encontrado já sem vida.

Em declarações à SIC no local, Jorge Almeida explicou que o menino "foi encontrado agora mesmo sem vida".

A irmã mais velha, de 14 anos, fora antes resgatada inconsciente e transportada para o Hospital de Aveiro, com prognóstico "muito reservado", mas acabou por morrer no hospital.

Segundo Jorge Almeida, que se encontrava no local onde as crianças desapareceram, junto à ponte de Sernada, Macinhata do Vouga, Águeda, a menina terá entrado na água para ajudar o irmão mais novo, que estaria em dificuldades.

De acordo com o responsável, a família das crianças é de Santa Maria da Feira e, depois de almoçar em Aveiro, terá ido em passeio até à beira-rio, em Águeda.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro disse à agência Lusa que o alerta foi dado pelas 14:30.

De acordo com os bombeiros de Águeda, o local onde as crianças tomavam banho não está classificado como praia fluvial, mas é uma zona do rio Vouga que, pelas condições que apresenta, é por alguns frequentada como tal.

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".