sicnot

Perfil

País

PCP, Verdes e CDS apresentam propostas contra violência e cyberbullying nas escolas

© Siegfried Modola / Reuters

O grupo parlamentar do PCP quer criar Gabinetes Pedagógicos de Integração Escolar, que combatam a violência, o 'bullying' e a exclusão, com CDS/PP e Partido "Os Verdes" a pedirem, também, medidas contra a violência nas escolas e na internet.

As propostas fazem parte de um projeto de lei (do PCP) e de dois projetos de resolução (CDS/PP e "Verdes"), que são hoje debatidos no plenário da Assembleia da República.

O projeto comunista de violência em meio escolar cria gabinetes nos agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas do ensino básico e secundário, para nomeadamente promoverem o acompanhamento de alunos sinalizados, de integração e acompanhamento, mas também de combate ao abandono e insucesso escolar, exclusão e violência.

"Apresentamos uma proposta de uma intervenção estruturada, visando promover um efetivo combate aos fenómenos de indisciplina, violência, 'bullying' ou exclusão no interior da escola", afirma o documento do PCP.

Na mesma área, mas mais específico, o grupo parlamentar "Os Verdes" apresenta um projeto de resolução no qual a Assembleia da República recomenda ao Governo a contratação de mais psicólogos em contexto escolar, e a implementação de uma agenda "de informação e sensibilização sobre o 'cyberbullying', dirigida às comunidades escolares do ensino obrigatório", abrangendo alunos, pessoal docente, pessoal não docente e encarregados de educação.

Afirmando que o 'cyberbullying' (violência contra alguém através da internet) é um fenómeno na sociedade em geral, os "Verdes" visam no documento que cabe também aos serviços de saúde e às escolas, sensibilizar os jovens para os cuidados a ter e para a deteção preventiva de eventuais crimes.

Nas escolas, diz o grupo parlamentar, os professores "são agentes determinantes na deteção de problemas e na procura da sua solução", cabendo o acompanhamento aos psicólogos. As escolas são "um espaço relevante" para detetar e prestar auxílio nos casos de 'cyberbullying'. Também o CDS/PP considera "crítica" a promoção, designadamente junto das escolas, "de medidas de prevenção para o combate ao crime e à violência, particularmente o 'cyberbullying' e o cibercrime".

No projeto de resolução, os centristas propõem que o parlamento recomende ao Governo o bloqueio do acesso a sítios na internet e aplicações digitais considerados potencialmente perigosos ou impróprios para menores. E que desenvolva um programa anual para estudantes sobre ciber-segurança e cibercrime e sessões de informação nas escolas sobre a utilização segura da internet.

Os deputados centristas afirmam que a globalização virtual requer "cada vez mais e maiores cautelas" e medidas preventivas e "até repressivas", porque "a segurança deve ser uma das prioridades" no uso da internet, especialmente para crianças e jovens.

A cibercriminalidade, a violência e a criminalidade em contexto escolar são matérias relativamente novas, "mas em preocupante crescimento, que planos e ações concretas de sensibilização, formação e prevenção podem ajudar, e muito, a evitar", diz o documento do CDS/PP.

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08