sicnot

Perfil

País

BE critica Governo por candidatar Lisboa para acolher Agência Europeia do Medicamento

HUGO DELGADO

A líder do BE criticou esta terça-feira a opção do Governo em candidatar Lisboa para acolher a Agência Europeia do Medicamento (EMA), considerando "perigoso" o argumento apresentado pelo primeiro-ministro de "conveniência da proximidade" a outras instituições.

"Eu julgo até que se devia decidir que Lisboa não era a melhor opção e depois olhar para as outras cidades do país que estão em condições do fazer, seguindo exemplos de outros países que não concentraram as agências europeias nas capitais, pelo contrário, diversificaram e com isso incentivaram a uma melhor distribuição no território do investimento, conhecimento, emprego, etc", afirmou Catarina Martins, em Guimarães, à margem de uma visita a um bairro social.

Segundo a coordenadora bloquista a escolha de candidatar a capital do país para acolher a EMA demonstra "centralismo", apontando ainda o dedo ao argumento apresentado por António Costa.

"Acho que é perigoso dizer que uma agência deve ficar num sítio porque esse sítio já tem duas ou três coisas e vai ter mais quatro ou cinco. Isso significa que, em última análise, tudo ficará concentrado sempre nos mesmos sítios, é o centralismo, Portugal já um país centralista demais", referiu Catarina Martins.

Numa carta dirigida ao presidente da Câmara do Porto na quinta-feira, e hoje divulgada, o primeiro-ministro aponta a "conveniência da proximidade do Infarmed" como justificação para candidatar Lisboa, e não o Porto, a acolher a sede da EMA, que deve abandonar Londres com a saída do Reino Unido da União Europeia.

O presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, revelou na reunião camarária de 16 de maio ter escrito ao primeiro-ministro a "mostrar o interesse" em acolher a sede da EMA.

Na sessão do executivo de hoje, Rui Moreira adiantou ter recebido a resposta na segunda-feira.

Na missiva, o primeiro-ministro revela que o Governo estudou "a possibilidade de candidatar as cidades de Lisboa e Porto" à EMA, tendo duas razões conduzido "à opção por Lisboa".

Costa cita na carta "a conveniência da proximidade do Infarmed, agência nacional do medicamento" e o facto de "ser fator de preferência a existência de Escola Europeia, que só Lisboa poderá vir a ter, beneficiando da sinergia da preexistência de outras agências europeias".

De acordo com António Costa, estas outras agências instaladas em Lisboa permitiriam "alcançar o número mínimo de funcionários das instituições europeias necessárias para a instalação da Escola".

Lusa

  • Depois do Fogo
    0:25

    Reportagem Especial

    Uma semana depois do incêndio de Pedrogão Grande são muitas as histórias de perda e de sobrevivência, mas também de solidariedade de pessoas anónimas, que não dormiram durante dias a fio, para apoiar na logística do difícil combate ao incêndio florestal mais mortífero de que há memória. Depois do Fogo, hoje no Jornal da Noite.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.