sicnot

Perfil

País

Onze concelhos de Faro e Bragança em risco máximo de incêndio

PAULO NOVAIS

Onze concelhos dos distritos de Bragança e Faro apresentam hoje risco 'máximo' de incêndio, segundo informação disponível na página da Internet do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o Instituto, em risco 'máximo' de incêndio estão os concelhos de Castro Marim, Tavira, São Brás de Alportel e Alcoutim (Faro), Bragança, Torre de Moncorvo, Freixo de Espada à Cinta, Alfândega da Fé, Mogadouro, Macedo de Cavaleiros e Vimioso (Bragança).

O IPMA colocou também em risco 'muito elevado' e 'elevado' de incêndio vários concelhos dos distritos de Faro, Beja, Évora, Portalegre, Santarém, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Viseu, Vila Real e Bragança.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre 'Reduzido' e 'Máximo'.O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente períodos de céu muito nublado, períodos de chuva ou aguaceiros e condições favoráveis à ocorrência de trovoada, em especial nas regiões Norte e Centro.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante oeste, soprando temporariamente moderado no sotavento algarvio durante a tarde e nas terras altas, e sendo do quadrante sul no interior da região Norte.

A previsão aponta ainda para neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais, pequena descida da temperatura mínima e da máxima na região Sul e interior Norte e Centro.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão variar entre 17 e 22 graus celsius, no Porto entre 15 e 23, em Vila Real entre 14 e 28, em Viseu entre 13 e 24, em Bragança entre 16 e 29, na Guarda entre 13 e 22, em Castelo Branco entre 15 e 27, em Coimbra entre 15 e 23, em Santarém entre 15 e 25, em Portalegre entre 13 e 25, em Évora entre 13 e 27, em Beja entre 14 e 26 e em Faro entre 17 e 25.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.