sicnot

Perfil

País

Quatro civis envolvidos no caso das messes ficam em liberdade

Quatro civis envolvidos no caso das messes ficam em liberdade

Vão ficar em prisão preventiva os 12 militares suspeitos de corrupção no fornecimento de bens para as messes da Força Aérea. Os quatro civis envolvidos no processo ficaram em liberdade, mas proibidos de falar com militares. As medidas de coação foram decididas, ontem, pelo juiz que conduziu um interrogatório de várias horas.

  • Major-general entre os 16 detidos no caso das messes
    1:18

    País

    Doze militares da Força Aérea, entre os quais um major-general, foram hoje detidos pela Polícia Judiciária. No total foram realizadas 16 detenções, no âmbito do processo Zeus que investiga crimes de corrupção nas messes. Em novembro já tinham sido detidas seis pessoas.

  • Detidos por suspeitas de corrupção da Força Aérea começaram a ser ouvidos

    País

    Os 16 detidos na terça-feira pela Polícia Judiciária, por suspeitas de corrupção na Força Aérea, começaram a ser ouvidos esta quarta-feira, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa. Entre os detidos, 12 são militares, um deles major-general, e quatro são empresários do ramo alimentar. A Polícia Judiciária fala numa fraude ao Estado de cerca de 10 milhões de euros.

  • Já foram detidos 18 militares da Força Aérea suspeitos de corrupção
    2:12

    País

    As suspeitas de corrupção na Força Aérea levaram esta terça-feira à detenção de mais 12 militares, um deles o major-general que controlava as compras para as messes. Na chamada Operação Zeus, foram ainda detidos quatro empresários ligados ao ramo da alimentação. Desde o início do processo que já foram detidos 18 militares, suspeitos de receberem subornos da sobrefaturação de produtos para as messes.

  • Seca contribui para a redução de nutrientes no mar e está a afetar a pesca
    2:11
  • Francisco George toma posse como presidente da Cruz Vermelha Portuguesa

    País

    O ex-diretor-geral da Saúde, Francisco George toma hoje posse como presidente da Cruz Vermelha Portuguesa. Em entrevista à Lusa, manifestou a intenção de criar uma unidade para abastecimento de água potável e redução dos problemas de saneamento em catástrofes como os incêndios deste verão. Além disso, em nome da transparência, vai tornar públicas as contas do organização, incluindo os donativos.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44