sicnot

Perfil

País

Despesa para remoção de amianto publicada em Diário da República

Durante as férias da Páscoa, será retirada a cobertura de 15 escolas e nas restantes as obras decorrerão no verão (SIC)

A remoção de amianto em edifícios até 2020, no valor de 422 milhões de euros, foi hoje publicada em Diário da República. 25% sairão de fundos europeus e do Orçamento de Estado e o restante do Banco Europeu de Investimento do Conselho da Europa, ao qual Portugal vai apresentar candidatura.

O objetivo final é acabar com o amianto, responsável por graves doenças respiratórias quando inalado, nos edifícios onde se presta serviço público, numa operação que abrange mais de 4.200 imóveis.

O Diário da República publica hoje também uma despesa de 12 milhões de euros para tirar resíduos perigosos das minas de carvão abandonadas de São Pedro da Cova, no concelho de Gondomar.

Mais de 125 mil toneladas de resíduos com riscos ambientais e de saúde estão depositados nas escombreiras das antigas minas, mas o Governo pretende que até 2019 estejam retirados, para o que vai abrir um concurso público internacional.

O Fundo Ambiental cobre a despesa da operação, que será acompanhada pela Agência Portuguesa do Ambiente.

Com Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15