sicnot

Perfil

País

Concelho de Castro Marim em risco máximo de incêndio

© Alkis Konstantinidis / Reuter

O concelho de Castro Marim, no distrito de Faro, apresenta hoje risco máximo de incêndio, segundo informação disponível na página da Internet do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, vários concelhos dos distritos de Faro, Beja, Portalegre, Santarém, Lisboa, Leiria, Coimbra, Vila Real, Castelo Branco, Guarda, Viseu e Bragança estão em risco muito elevado e elevado de incêndio.

Os outros concelhos do continente apresentam risco moderado e reduzido de incêndio.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo. O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00, em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O Instituto prevê para hoje, no continente, períodos de céu muito nublado, tornando-se gradualmente pouco nublado ou limpo na região Sul, a partir do meio da manhã e nas regiões Norte e Centro, a partir do início da tarde, e possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca no litoral das regiões Norte e Centro, até ao início da manhã.

A previsão aponta, ainda, para vento fraco a moderado de noroeste, soprando moderado a forte com rajadas até 65 quilómetros por hora no litoral oeste, a partir do final da manhã, e nas terras altas, neblina ou nevoeiro matinal e pequena descida da temperatura mínima.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 17 e 25 graus Celsius, no Porto entre 16 e 24, em Vila Real entre 13 e 29, em Viseu entre 11 e 27, em Bragança entre 13 e 30, em Coimbra entre 15 e 25, em Castelo Branco entre 14 e 31, em Santarém entre 16 e 27, em Portalegre entre 12 e 30, em Évora entre 14 e 31, em Beja entre 13 e 31 e em Faro entre 17 e 31.

Lusa

  • Vaca algarvia em risco de extinção
    3:42

    País

    É uma corrida contra o tempo e o risco iminente de extinção. Numa altura em que são conhecidos apenas cinco exemplares da raça bovina algarvia, a inseminação artificial parece ser a única forma de evitar o desaparecimento completo de uma raça que foi desaparecendo com as mudanças na agricultura.