sicnot

Perfil

País

CDS-PP defende que Costa evitou a "remodelação de que o país precisava"

M\303\201RIO CRUZ

O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo defendeu esta quinta-feira que o primeiro-ministro "foi forçado a uma remodelação" e apostou no "elo mais fraco", os secretários de Estado, evitando a "remodelação de que o país precisava".

"O primeiro-ministro não fez uma remodelação, foi forçado a uma remodelação, e apostou naqueles que, dentro do Governo, são necessariamente o elo mais fraco", afirmou Nuno Melo aos jornalistas, antes do jantar de lançamento da candidatura da líder do CDS à Câmara de Lisboa.

Reiterando o pedido de demissão dos ministros da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, Nuno Melo argumentou que António Costa "evitou a remodelação de que o país precisava, desde logo nas áreas de soberania, de Estado".

O dirigente centrista considerou que o chefe do executivo retirou secretários de Estado e "deixou ministros que tutelam áreas onde tudo falhou".

Nuno Melo insistiu que "tudo falhou na Administração Interna, com furtos há pouco tempo de pistolas de nove milímetros, seguido de uma tragédia em que, do SIRESP à Proteção Civil, com culpas passadas de um lado para o outro e uma ministra desautorizada" também a falha foi generalizada, referindo-se a Pedrogão Grande.

"Na Defesa, quando a Europa inteira se mobiliza com grande dificuldade no combate ao terrorismo, desaparecem de um quartel de um país ocidental, que é membro da NATO, granadas ofensivas, lança-granadas, explosivo plástico", afirmou, criticando o que considerou ter sido a desvalorização feita pelo primeiro-ministro daquele roubo.

Nuno Melo sublinhou que foi roubado em Tancos "material de guerra" que é "particularmente letal".

Questionado sobre os oito novos secretários de Estado e a criação de uma secretaria de Estado para a Habitação, o dirigente do CDS disse não querer fazer "avaliações por antecipação em secretarias de Estado já existentes ou criadas".

"Apesar de tudo, esperamos que o desempenho destes secretários de Estado tenha mais sucesso que os anteriores", declarou.

O Presidente da República nomeou esta quinta-feira, por proposta do primeiro-ministro, oito novos secretários de Estado que vão tomar posse na sexta-feira às 19:30, no Palácio de Belém, segundo uma nota divulgada no portal da Presidência da República.

Na maior mudança na composição do XXI Governo Constitucional desde a posse, que ocorreu em 26 de novembro de 2015, são alterados os titulares de sete secretarias de Estado de cinco ministérios e é ainda criada uma nova secretaria de Estado da Habitação, que será assumida pela arquiteta Ana Pinho.

Os novos secretários de Estado são Ana Paula Zacarias (Assuntos Europeus), Eurico Brilhante Dias (Internacionalização), Tiago Antunes (Presidência do Conselho de Ministros), Maria de Fátima Fonseca (Administração e Emprego Público), António Mendonça Mendes (Assuntos Fiscais), Ana Teresa Lehmann (Indústria) e Miguel João de Freitas (Florestas e Desenvolvimento Rural), Ana Pinho (Habitação).Estas nomeações e respetivas exonerações foram esta quinta-feira divulgadas no portal da Presidência da República após a reunião semanal do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, com o primeiro-ministro, António Costa.

Lusa

  • A maior remodelação deste governo

    País

    O Presidente da República nomeou esta quinta-feira, por proposta do primeiro-ministro, oito novos secretários de Estado que vão tomar posse esta sexta-feira às 19:30, no Palácio de Belém, segundo uma nota divulgada no portal da Presidência da República.

  • Quem são os novos secretários de Estado
    2:57

    País

    Oito novos secretários de Estado tomam posse esta sexta-feira. António Mendonça Mendes, Eurico Brilhante Dias e Ana Teresa Lehmann são alguns dos nomes que pode conhecer aqui. Foi criado uma nova Secretaria de Estado, a Habitação, que fica a cargo de Ana Pinto.

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.