sicnot

Perfil

País

Um algoritmo para evitar inundações

Investigadores da Universidade de Coimbra (UC) criaram um algoritmo inteligente para mitigar inundações em zonas urbanas.

Uma equipa de especialistas dos departamentos de engenharias informática e civil da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC "desenvolveu um algoritmo inteligente para gestão dos sistemas de drenagem de águas pluviais, por forma a evitar/mitigar inundações em zonas urbanas", afirma a UC numa nota enviada hoje à agência Lusa.

A solução, recentemente distinguida com o 'Best Paper Award' na quarta conferência Experiment@International, destina-se ao "controlo de caudais em condutas subterrâneas existentes para a drenagem das águas provenientes das chuvas".

A partir da recolha de dados fornecidos em tempo real por vários sensores de precipitação (udómetros), instalados em diferentes pontos geográficos da malha urbana, o algoritmo "avalia a situação e, de forma autónoma, ativa barreiras que controlam o fluxo da água, evitando ou mitigando a ocorrência de inundações", explica o coordenador do projeto, Alberto Cardoso, citado pela UC.

"Dependendo da intensidade de precipitação e do caudal gerado, e considerando a capacidade de retenção do sistema de tubagens existente, é tomada a decisão adequada, sem intervenção humana", acrescenta o investigador e docente da FCTUC.

Além disso, esta ferramenta informática também considera "ambientes naturais envolventes para onde a água pode ser desviada temporariamente", sublinha Alberto Cardoso.

"Foi um grande desafio desenvolver este algoritmo, porque a água tem um comportamento imprevisível", conclui o investigador.

O controlo em tempo real (RTC) de redes de drenagem de águas pluviais é "uma temática bastante atual, que tem sido objeto de diversos estudos", entre os quais o projeto europeu CENTAUR (Cost Effective Neural Technique for Alleviation of Urban Flood Risk), refere a UC.

O projeto CENTAUR envolve equipas de investigadores do Departamento de Engenharia Civil da FCTUC e a empresa municipal Águas de Coimbra.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.