sicnot

Perfil

País

Pagamento retroativo aos professores colocaria em causa o Orçamento

O pagamento do tempo de serviço prestado pelos professores durante os anos em que as carreiras estiveram congeladas iria pôr em causa os próximos Orçamentos do Estado, disse esta terça-feira fonte do Governo.

Ao contrário do que vai acontecer com os restantes trabalhadores da Função Pública, aos professores não será contabilizado o trabalho realizado durante nove anos, ou seja, entre 31 de agosto de 2005 e 31 de dezembro de 2007 e entre janeiro de 2011 e 31 de dezembro de 2018.

Os docentes representam 1/6 dos trabalhadores da Função Pública e 1/7 da massa salarial e, segundo o Governo, a contagem do tempo de serviço congelado iria pôr em causa a sustentabilidade dos próximos OE, uma vez que tal teria um custo total de cerca de 600 milhões.

Atualmente existem 668 mil funcionários públicos que em janeiro de 2018 vão voltar a ter progressão da carreira, segundo a proposta de OE. Também no próximo ano, os funcionários públicos começam a receber, de forma gradual, as verbas devidas pelos anos em que as suas carreiras estiveram congeladas, à exceção dos docentes, que não estão contemplados nesta mudança prevista no próximo OE.

Esta é uma das principais razões pelas quais se realiza na quarta-feira uma greve geral e uma concentração em frente ao parlamento, no mesmo dia em que a secretária de estado Alexandra Leitão vai apresentar o orçamento.

Segundo o Governo, cerca de 7.500 docentes que foram contratados entre 2011 e 2017, altura em que as carreiras estavam congeladas, irão no início do próximo ano ver as suas carreiras reposicionadas, o que representa um acréscimo de cerca de 20 milhões de euros.

Lusa

  • O que têm ice tea, colas e leite com chocolate em comum? O PAN explica
    1:36
  • Mulher salva dos carris segundos antes de chegar comboio
    0:34
  • 125 kg de haxixe apreendidos nos Açores
    1:17

    País

    Foi a maior apreensão de haxixe alguma vez feita nos Açores. Duas mulheres vendedoras de roupa ambulantes foram detidas pela Polícia Judiciária em Ponta Delgada. Juntamente com a roupa tinham mais de 125 quilos de haxixe.