País

Cartão escolar vai bastar para andar de transportes públicos gratuitamente em Lisboa

O cartão de perfil para criança apresenta, antes do seu número, a letra “C”. O custo de aquisição varia entre 7 e 12 euros dependente do tipo de serviço escolhido.

As crianças de Lisboa vão poder usar o cartão escolar para viajar gratuitamente na Carris e no Metro, uma medida que a Câmara quer implementar junto dos alunos do primeiro ciclo em setembro, alargando depois a outros ciclos.

"A partir da Páscoa" irá avançar um projeto-piloto em dois agrupamentos da cidade "que ainda não estão escolhidos", mas a câmara pretende que, em setembro, "seja universal nas escolas básicas a existência de um cartão escolar que permite não só identificar o aluno na escola, mas aceder aos transportes públicos de Lisboa", avançou à agência Lusa o vereador da Educação e dos Direitos Sociais.

Atualmente, os passes para a rodoviária Carris e Metropolitano já são gratuitos para crianças até aos 12 anos (mediante pagamento de 7€), mas Ricardo Robles admite que o cartão possa chegar a alunos mais velhos.

"Em setembro de 2018 queremos implementá-los em todos os alunos do primeiro ciclo e em setembro de 2019 queremos alargar depois aos ciclos seguintes", referiu Ricardo Robles.

"Ainda não estabelecemos até onde será, mas o objetivo é ser uma coisa progressiva, segundo, terceiro , secundário (...), mas é um faseamento no tempo que ainda não temos definido, e portanto vamos articular também com o vereador da mobilidade", acrescentou.Uma vez na posse dos cartões, os cerca de 15 mil alunos do primeiro ciclo de Lisboa poderão usar este sistema na Carris e no metro.

Com esta medida, explicou o vereador "deixam de ser os pais a ter de pedir" o passe para as crianças, pelo que os mais novos "desde que estejam na escola, passam a ter o cartão" para os transportes públicos automaticamente.

Na opinião do autarca, "esta é uma ideia que parece muito simples, e é simples, mas que cria um instrumento importante para as escolas", uma vez que quando existem atividades fora da escola é necessário que os alunos se façam acompanhar de títulos de viagem já carregados ou dos seus passes.

"Se os alunos já tiverem este instrumento, que é o cartão da escola que lhes permite andar nos transportes públicos, cria uma dinâmica diferente de atividades fora da escola, e acho que isso é muito interessante", advogou o bloquista.

Esta medida insere-se também numa política de tentar atenuar o impacto dos movimentos pendulares para as escolas, que têm um "grande pico ao início da manhã e ao final da tarde em zonas muito específicas da cidade, e que criam uma pressão muito grande".

Questionado sobre o investimento necessário para aplicar a medida, o eleito do BE apontou que "está a ser calculado pelo vereador da Mobilidade, mas para já é só a execução física do próprio cartão, e portanto o valor de investimento é muito reduzido".

Outra das valências deste cartão escolar estará ligada à cultura e será "a gratuitidade de acesso aos equipamentos da EGEAC", como museus ou teatros, medida que o vereador da Educação espera que "potencie muito as atividades nas escolas".

Uma das medidas constantes no acordo de governação da cidade, firmado entre PS e BE no início do mandato, é o acesso gratuito a menores de 18 anos, maiores de 65 e desempregados a todos os espetáculos e espaços geridos pela EGEAC (empresa municipal que gere os equipamentos culturais de Lisboa).

Lusa

  • Três sportinguistas analisam entrevista de Bruno de Carvalho
    1:29
  • Manuel Pinho não terá declarado dinheiro que recebeu
    2:45

    Economia

    Manuel Pinho não terá declarado ao Tribunal Constitucional o dinheiro que recebeu do chamado saco azul do Grupo Espírito Santo. Esta terça-feira, no Parlamento, o antigo ministro da Economia de José Sócrates foi questionado sobre o assunto mas recusou responder.

  • Ora Eça!

    Opinião

    Eça, o meu conterrâneo que se definia como sendo "apenas um pobre homem da Póvoa de Varzim" não haveria de gostar de nada que fosse obrigatório. Durante décadas, Os Maias lá estiveram, quem sabe numa progressista lista pós-revolução, dada a natureza "sexual e incestuosa" da obra. Sai dessa lista agora. Claro que sai. "Ninguém" gostava de "ter de" ler Os Maias.

    Pedro Cruz

  • Jovens tailandeses poderão vir a sofrer de transtornos a longo prazo
    2:30

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador resgatados de uma gruta da Tailândia já tiveram alta. Uma semana depois, saíram do hospital e deram uma conferência de imprensa em que se mostraram sorridentes. No entanto, os especialistas advertem que poderão vir a sofrer de transtornos a longo prazo, se forem obrigados recorrentemente a reviver tudo o que passaram.

  • Os portugueses que se cruzaram na vida de Mandela
    2:19
  • Cem anos de Mandela: o legado de um "gigante da História"

    Mundo

    Na história da Humanidade contam-se muito poucas figuras capazes de gerar uma aclamação unânime e global de elogio e agradecimento. Nelson Mandela está nessa lista de eleitos. No dia em que completaria 100 anos, recordamos o legado de "Madiba", um dos maiores impulsionadores da paz que este mundo já conheceu.

    André de Jesus

  • Será este o táxi mais autografado do mundo?
    2:27
  • Quem é a mais recente líder da Sonae?
    2:16
  • Rádio Escuta dá voz aos imigrantes que vivem em Lisboa
    4:02

    País

    Uma rádio comunitária está no ar, por estes dias, no bairro do Intendente, em Lisboa. O projeto é temporário e termina no próximo domingo. Mas até lá, a Rádio Escuta chega a mais de 100 países, pela internet, e dá voz aos imigrantes de diversas origens que vivem em Lisboa.

  • Lisboa vai ser Capital Verde da Europa em 2020
    2:54

    País

    O vereador do Ambiente de Lisboa quer envolver todos os cidadãos, empresas e agentes culturais na Capital Verde da Europa em 2020. Lisboa é a primeira cidade do sul da Europa a conseguir a distinção e, até lá, a Câmara promete um conjunto de investimentos para tornar a capital portuguesa um exemplo na área ambiental. Um deles é a construção de uma central solar.

  • Donald Trump em nova polémica

    Mundo

    O presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, fez estalar uma nova polémica ao chamar ao Montenegro um "país muito pequeno" cujos habitantes são "muito agressivos" e por parecer questionar o princípio da defesa mútua dentro da NATO.

  • Urso apanhado na piscina de moradia de luxo na Califórnia
    1:35