sicnot

Perfil

País

Marcelo começa hoje a ouvir partidos sobre próximo Orçamento do Estado

O Presidente da República começa hoje a receber os partidos com representação parlamentar para discutir o Orçamento do Estado para 2019 e outros temas que o chefe de Estado considera importantes para o país no imediato e a prazo.

O primeiro partido a ser recebido por Marcelo Rebelo de Sousa no Palácio de Belém, em Lisboa, é o Pessoas-Animais-Natureza (PAN), às 12:00, seguindo-se o Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV) às 13:00.

O chefe de Estado antecipou esta segunda-feira que espera "ouvir os partidos sobre o que é importante para Portugal no imediato e a prazo".

"No imediato, como é que veem o orçamento para o ano que vem, o período que vai até às eleições e até ao termo da legislatura", afirmou.

Sobre os temas a prazo, o Presidente da República deu o exemplo do "quadro financeiro plurianual, investimentos públicos a prazo, o chamado pós-2020", querendo saber como é que os partidos "veem as prioridades no horizonte de 2030".

"É muita matéria, mas teremos oportunidade de voltar a falar. Os encontros são de três em três meses. Haverá agora. Ainda haverá mais ao longo do ano", disse aos jornalistas Marcelo Rebelo de Sousa na passada segunda-feira.

Os encontros com os partidos políticos continuam na quinta-feira com o PCP e o CDS-PP e, na sexta-feira, o chefe de Estado recebe o BE e o PS.

O Presidente da República receberá ainda, no dia 19 de fevereiro, segunda-feira, a nova direção do PSD. Esta audiência tinha sido divulgada logo após a eleição de Rui Rio para a liderança do PSD, no dia 13 de janeiro, numa nota publicada no site da Presidência.

As audiências com os partidos com representação parlamentar acontecem após o chefe de Estado ter recebido os parceiros económicos e sociais.

Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05