sicnot

Perfil

Pequenas grandes histórias

CNN denuncia venda de escravos na Líbia

CNN denuncia venda de escravos na Líbia

As imagens estão a chocar o mundo. Homens são vendidos como escravos nos arredores de Trípoli, na Líbia, por 1.200 dinares líbios, cerca de 335 euros cada. São apresentados como jovens fortes para trabalhos agrícolas. A CNN assistiu a um leilão e tentou falar com os homens vendidos mas o medo de represálias falou mais alto. As imagens recolhidas pela estação de televisão norte-americana foram entregues às autoridades locais.

As imagens foram gravadas, de acordo com a CNN nos meses de agosto e outubro. Numa das reportagens vêem-se dois jovens encarcerados numa jaula, ao mesmo tempo que se ouve uma voz a anunciar a venda de "jovens fortes" para trabalhos agrícolas e outros a troco de 1.200 dinares líbios, o que equivalente a 340 euros cada um.


França pediu, entretanto, uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU. António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas e a União Africana já pediram celeridade para acabar com os atos de escravatura naquele país.

A Líbia anunciou entretanto a abertura de um inquérito. De acordo com a CNN os homens vendidos em leilão são oriundos da Guiné, Senegal, Mali, Níger, Nigéria e Gâmbia. Tentam chegar à Europa mas muitos não chegam a tentar sequer a travessia do mediterrâneo. Ficam na Líbia onde são vendidos como escravos.

  • Isto não é não jornalismo. Por Ricardo Costa

    Opinião

    Uma das decisões mais banais e corriqueiras do jornalismo assenta nas escolhas que se fazem no dia a dia. Que temas se abordam, que destaque se dá a este ou aquele assunto, que ângulos de abordagem se usam. São opções condicionadas por uma série de fatores - que vão do interesse e da novidade até questões tão básicas como o haver ou não jornalistas com tempo, meios e conhecimentos para o fazerem -, que estão e estarão na base de qualquer dia de trabalho numa redação.

    Ricardo Costa

  • Bruxelas multa Altice em 125 M€ devido à compra da PT

    Economia

    Os Serviços da Concorrência da Comissão Europeia decidiram multar a Altice em 125 milhões de euros no âmbito da compra da PT Portugal. Bruxelas avançou com a multa à Altice por ter começado a gerir a PT antes do negócio ter sido aprovado pela Comissão Europeia.

  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.