sicnot

Perfil

E se fosse consigo?

"O que me agrada é que cada vez menos as pessoas toleram estas coisas”

"O que me agrada é que cada vez menos as pessoas toleram estas coisas”

Em Portugal, as mulheres são as principais vítimas de assédio no trabalho. Quem assedia são sobretudo homens. Os dados constam no estudo “Assédio Sexual e Moral no Local de Trabalho”, que aponta para uma diminuição de casos nos últimos anos. Para Anália Torres, investigadora do CIEG e coordenadora do estudo, os 14% de situações identificadas ainda são mais elevados do que a média da Europa. “Em Portugal, tem havido muita tolerância mas o que me agrada ultimamente é que cada vez menos as pessoas toleram estas coisas”.

  • Maioria das queixas de importunação sexual não resultam em nada. E se fosse consigo?
    2:05

    E se fosse consigo?

    A lei de importunação sexual que previa punição para atos exibicionistas e contacto de natureza sexual forçado foi alterada em 2015. Passou a incluir "propostas de teor sexual". No ano passado, foram instaurados mais de 700 inquéritos. Só 75 resultaram em acusações. Este ano, até setembro, existiam mais de 625 inquéritos, apenas 66 deles com acusações. O crime dá prisão até um ano ou até 3 se envolver menores de 14 anos. O que se verifica é que a esmagadora maioria das queixas de importunação sexual não resultam em nada.

  • "Não é correto dizer-se que houve criminalização do piropo"
    5:26

    E se fosse consigo?

    A alteração da lei sobre importunação sexual feita em 2015 não veio definir com exatidão a diferença entre um comentário rude e uma proposta de teor sexual, "o que temos hoje é uma lei que não é carne nem é peixe", diz André Lamas Leite. Para o professor de Direito, o que leva muitos homens a ter esse tipo de comportamentos é o desejo de mostrarem a sua virilidade perante os outros e as mulheres são as principais vítimas. "O que faz falta é o respeito pela igualdade", pela liberdade dos outros.

  • "Não é suposto uma criança de 13 anos ouvir isto"
    5:30

    E se fosse consigo?

    Segundo estudos da comissão Europeia, mais de 50% das mulheres da Europa já foram vítimas de assédio sexual. Paula Cosme Pinto conta que, aos 13 anos, o que ouviu deixou-lhe marcas. Sentiu culpa, sentiu-se mal com o corpo e acredita que as memórias desse momento ainda têm influência na vida dela mesmo depois dos 30. A criadora do blogue “A Vida de Saltos Altos” acredita que a alteração da lei feita em 2015 veio proteger as mulheres, porque "os agressores não podem sair impunes”.

  • “Eram piropos do mais obsceno que possa existir”
    3:06

    E se fosse consigo?

    Em plena rua, Ricardo Moreira foi testemunha da abordagem abusiva de um grupo de homens a cada mulher que passava. Decidiu denunciar o comportamento num telefonema à PSP. Descreveu a situação a um primeiro agente que o encaminhou para um segundo mas nenhum deles pareceu que estivesse "especialmente interessado". Ricardo Moreira não desistiu, explicou uma, duas, três vezes, o que se estava a passar, até que a queixa foi ouvida.

  • Luaty Beirão satisfeito com sinais de mudança de paradigma em Angola
    4:03

    Mundo

    Sete meses depois da tomada de posse de João Lourenço como presidente de Angola, o país vive um tempo de revoluções. Mudanças inéditas que, nas palavras do ativista Luaty Beirão, permitem ter esperança num futuro melhor. O músico esteve em Lagos, a convite da Câmara Municipal, para falar sobre Livros e Liberdade.

  • O portal onde pode consultar certidões e outros documentos sem sair de casa
    7:37
  • Presidente da Comunidade de Madrid demite-se depois da divulgação de vídeo de roubo
    1:27