sicnot

Perfil

perdidos e achados.png

Perdidos e Achados

SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

Perdidos e Achados

“Casos Arquivados”

No Perdidos e Achados desta semana revirámos os arquivos da Polícia Judiciária e visitámos o museu da PJ, onde estão guardados mais de 30 mil objetos ligados a crimes resolvidos e por resolver. Tendo como ponto de partida alguns dos casos arquivados, decidimos ir à procura dos vestígios que ainda hoje permanecem deles.

Em 1985, foi encontrada uma cela subterrânea que terá pertencido às FP 25 de Abril.

Em 1985, foi encontrada uma cela subterrânea que terá pertencido às FP 25 de Abril.

Esta estranha foto ilustra um desluvamento da pele de um cadáver que serviu para o identificar.

Esta estranha foto ilustra um desluvamento da pele de um cadáver que serviu para o identificar.

Na noite de 18 de Março de 1978, a Faculdade de Ciências de Lisboa e o Museu de História Natural, foram arrasados por um incêndio.

Na noite de 18 de Março de 1978, a Faculdade de Ciências de Lisboa e o Museu de História Natural, foram arrasados por um incêndio.

Acabámos por fazer uma viagem no tempo que nos levou dos anos 60 até à década de 90, encontrámos alguns dos protagonistas e outros intervenientes, relacionados com cada caso, por via da investigação ou apanhados no desenrolar do processo.

Escolhemos 5 histórias, algumas delas que ainda hoje permanecem na memória de muitos, como o incêndio na Faculdade de Ciências de Lisboa em 1978, outras mais enigmáticas, como a da cela subterrânea encontrada no meio de um pinhal em São Pedro de Moel.

Com acesso a documentos históricos e objetos apreendidos, revelamos no Perdidos e Achados, detalhes de algumas das investigações da Polícia Judiciária.

Jornalista – Isabel Osório

Repórter de Imagem – Odacir Júnior

Edição de Imagem – João Nunes

Produção – Cláudia Araújo, Madalena Durão

Coordenação – Maria João Ruela

Direção – Alcides Vieira

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Repórteres fazem relato impressionante dos acontecimentos em Charlottesville
    3:40