sicnot

Perfil

perdidos e achados.png

Perdidos e Achados

SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

Perdidos e Achados

Senhor dos Passos

Há quase 430 anos que os fiéis de Lisboa seguem, sem interrupções, o Senhor dos Passos. A procissão de Quaresma é precursora de outras devoções em Portugal e no mundo. Remonta a 1587, um ano depois da instituição da Real Irmandade da Santa Cruz e dos Passos, com sede numa capela onde, depois do grande terramoto, foi construída a atual igreja da Graça.

Procissão dos Senhor dos Passos em 1950

Procissão dos Senhor dos Passos em 1950

Procissão do Senhor dos Passos, 67 anos depois.

Procissão do Senhor dos Passos, 67 anos depois.

Em 1950, milhares de fiéis percorreram as ruas da Graça para cumprir a tradição. Ainda não havia televisão em Portugal e a procissão ficou registada num filme reencontrado agora pela SIC, um retrato de Lisboa em meados do século XX, marcada por um catolicismo de devoções emocionadas e manifestações públicas. Em Perdidos e Achados, reencontramos também gente que se surpreende ao rever-se há 67 anos...


A procissão do Senhor dos Passos em Lisboa tem hoje o Presidente da República entre os devotos. A deste ano realizou-se antes da tomada de posse. A SIC cruzou-se com o chefe de estado "eleito" junto à Igreja de São Domingos, entre fiéis que rezavam na passagem dos andores do Senhor dos Passos e de Nossa Senhora da Soledade. Marcelo Rebelo de Sousa participou na procissão "quando era criança" e garantiu que vai continuar a participar em manifestações públicas de fé, "a título pessoal". Não sendo Portugal um estado confessional, "todos os que têm responsabilidades podem exercer a sua liberdade religiosa", explicou.
Em 1950, ainda como consequência dos conturbados anos da implantação da república, os andores saiam para um curto percurso apenas nas ruas da Graça. Os "passos" desta caminhada recordam hoje paixão de Cristo do Chiado à Graça passando no Rossio.
Quando, no século XVI, Lisboa viveu o exacerbar do preconceito religioso, uma cultura de segregação acendeu no Largo de São Domingos as chamas do ódio. Mais de 500 anos depois, o local é ponto de encontro multicultural, turístico e passagem para a procissão da fé maioritária, em tempo de Quaresma, ao lado do monumento que assinala o massacre de judeus.

Jornalista: Joaquim Franco

Repórter de Imagem: Nuno Fróis

Edição de Imagem: Jorge Costa

Produção: Madalena Durão

Coordenação: Pedro Mourinho

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".