sicnot

Perfil

Reportagem Especial

A saúde da Galilei

O British Hospital é o ativo com mais destaque na Galilei Saúde

Está em marcha um negócio que pode lesar os interesses do Estado em, pelo menos, 6 milhões de euros. São de novo os fantasmas do BPN que não param de atormentar a saúde financeira do país.

A história começa com o grupo Galilei, o conjunto de empresas que integravam a SLN, a holding proprietária do BPN.

Quando o banco foi nacionalizado, a holding que o detinha permaneceu em mãos privadas. Os acionistas, alguns coveiros do banco, mudaram-lhe o nome para Galilei.

A maioria das empresas do universo estava descapitalizada, porque lhes faltou o banco que as financiava. Mas havia um setor rentável, a saúde.

A Galilei saúde gera lucros de 2 milhões de euros por ano, que a empresa mãe, a Galilei, absorve integralmente. Resultado: um setor saudável entrou em agonia.

A Galilei saúde deve 34 milhões de euros. A maior fatia dessa dívida, 22 milhões, pertence à Parvalorem, o grupo empresarial do Estado que gere o lixo tóxico do BPN.

De nada serve à Galilei Saúde ser rentável, porque a ligação à Galilei transformou-a numa empresa doente.

Os gestores da Galilei Saúde conseguiram convencer os credores a aceitar um plano especial de revitalização, um PER, que o tribunal aprovou.

A empresa entrou, na prática, num processo de venda.

Esta reportagem especial retrata o mistério da empresa em agonia que, de repente, se tornou demasiado atrativa para 6 candidatos à compra.

É aqui que entra o Estado, ou seja, a Parvalorem. A Parvalorem decidiu vender o crédito à melhor oferta. E quem controlasse o crédito da Parvalorem, controlaria a empresa.

O problema é que a Parvalorem pode não ter vendido à melhor oferta. A empresa do Estado acabou a fazer contrato com um fundo belga, detido por 3 empresários sem ligações à saúde. A venda foi feita abaixo do preço… E, de repente, o Estado pode ter perdido 6 milhões de euros.

Reportagem: Pedro Coelho

Imagem: Jorge Oliveira e Luís Pinto

Edição de imagem: Ricardo Tenreiro

Grafismo: Fernando Ferreira

Produção Editorial: Diana Matias

Coordenação: Marta Reis

Direção: Ricardo Costa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28